Palestras

As palestras são apresentadas por alunos de pós-graduação do Departamento de Astronomia do IAG/USP, com linguagem acessível e recursos multimídia. Para visitas de escolas, o professor deve escolher um dos temas listados abaixo:

Recomendamos fortemente que o professor trabalhe previamente alguns dos conceitos básicos referentes aos temas, para que os alunos possam levantar questões e estabelecer um diálogo com os monitores.

Ao final de cada palestra, é feita uma rápida instrução para a prática da observação do céu com uso de binóculos e telescópios. A observação dependerá exclusivamente das condições meteorológicas, podendo ocorrer antes da palestra.

Atenção: a visita ao Departamento de Astronomia do IAG é indicada para alunos a partir do Ensino Fundamental II e crianças a partir de 10 anos de idade.


Como observar o céu

Palestra indicada para todas as idades.

Não é exagero pensar que desde o seu surgimento o homem observa o céu, por curiosidade ou necessidade. Bem mais recentemente, alguns milênios atrás, povos antigos como os chineses, egípcios e mesopotâmios já estudavam sistematicamente o céu e registravam suas observações.

Desde então, independente da cultura de cada povo, temos herdado um legado valioso sem o qual jamais poderíamos chegar ao ponto em que estamos hoje. Com o desenvolvimento industrial e o crescimento das áreas urbanas, a poluição luminosa aumentou e a transparência da atmosfera piorou e, aos poucos, fomos perdendo o hábito de observar o céu.

Como os antigos navegantes usavam as estrelas para guiar seus navios? Como se localizar usando o Sol? O nascente e o poente são sempre nos pontos cardeais Leste e Oeste? Por que as "Três Marias" não aparecem no inverno? É verdade que uma constelação pode conter simultaneamente planetas, estrelas, galáxias, etc? Estas perguntas envolvem noções básicas de geografia, dos movimentos de rotação e translação terrestres, assim como a maneira de se reconhecer os planetas, ou de se encontrar uma estrela a partir de uma carta celeste.

Este assunto é abordado em palestra expositiva e praticado na observação noturna que sucede a palestra. Para tanto iniciaremos o reconhecimento do céu a olho nú, depois o faremos com auxílio de binóculos, luneta e/ou telescópio.


O Sistema Solar

Palestra indicada para todas as idades.

Com o desenvolvimento científico e tecnológico a instrumentação de solo e a espacial se tornam cada vez mais potentes e sofisticadas, dotando os astrônomos de informações mais detalhadas dos corpos do Sistema Solar. Atualmente, cada um deles é encarado mais como um corpo específico de pesquisa do que um objeto a mais dessa família.

O Sol é apresentado como uma estrela modelo, discutindo-se seu interior, superfície, atmosfera, e a fonte de energia solar, em última instância a responsável pela existência da vida na Terra. A descrição comparada dos planetas propiciará ao público uma visão de conjunto, embasada nas características individuais mais significativas dos mesmos, como tamanho, temperatura, composição química, número de satélites, e distância ao Sol. Os planetas anões Eris, Plutão e Ceres também são discutidos.

A população dos corpos menores é composta por satélites, asteroides, cometas e meteoroides. Esses objetos apresentam diferenças enormes em tamanho, composição química, distâncias, etc., e são discutidos individualmente.

A palestra é ricamente ilustrada com fotos obtidas com instrumentação moderna de solo e espacial, incluindo sondas espaciais. A abordagem é feita em linguagem técnica, porém adequada ao público alvo.


Exoplanetas

Palestra indicada para todas as idades. Recomenda-se ter noções de Sistema Solar.

Os chamados exoplanetas ou planetas extrassolares são objetos de massa planetária, que não brilham com luz própria e que orbitam outras estrelas que não o Sol. Esta definição parece ser simples e autoexplicativa, porém, sem dúvida nenhuma, com os avanços tecnológicos observacionais, deverá passar por uma evolução natural a medida que novos planetas serão descobertos.

A contagem de exoplanetas aumenta gradativamente e novas surpresas em relação ao Sistema Solar surgem a todo momento. Essas surpresas, e alguns métodos de detecção são abordados nessa palestra.


Estrelas

Palestra voltada ao público acima de 14 anos. Recomenda-se ter noções de física básica e química geral.

Estrelas são unidades fundamentais das galáxias. A mais próxima da Terra é o Sol, a estrela do Sistema Solar. Sua luz demora cerca de 8 minutos para chegar à Terra, mas a luz da segunda estrela mais próxima demora cerca 4,5 anos! A distância que nos separa desta estrela é enorme, mas ainda assim é cerca de 24.000 vezes menor que diâmetro da Via Láctea, nossa galáxia.

Para produzir energia as estrelas consomem parte de sua massa, transformando gases leves em outros mais pesados. Os elementos químicos mais leves que o ferro são produzidos dessa forma, porém os mais pesados surgem de processos catastróficos. Nós somos formados por matéria forjada em estrelas que já não existem mais. Somos poeira de estrelas.

As estrelas não são iguais, tem tamanhos, cores e temperaturas distintas. Vivem de formas diversas, tanto como estrelas solitárias como em grupo, possuem tempos de vida diferentes, e morrem deixando objetos como nebulosas, estrelas compactas, ou buracos negros.

Esses pontos assim como a trajetória de evolutiva de diferentes estrelas (como nascem, evoluem e morrem), inclusive o Sol, são discutidos nessa palestra.


Via Láctea e outras galáxias

Palestra indicada para todas as idades.

Quantas estrelas há na Via Láctea e como elas se distribuem? Qual a sua forma? O que contribui para nossa Galáxia ter sua forma? Todas as galáxias são do mesmo tipo? E como se formaram? Qual material que as constituem? Estes são alguns dos temas abordados nesta palestra, ricamente ilustrada com figuras, esquemas e imagens obtidas com os mais modernos telescópios de solo e com o telescópio espacial Hubble.


A origem do universo

Palestra indicada para público acima de 14 anos com conhecimento em física básica.

Do ponto de vista científico pode-se dizer que pelo menos até o inicio da ciência moderna (séc. 17) a cosmologia restringia-se praticamente à discussão da estrutura dinâmica do Sistema Solar, através dos modelos geocêntrico e heliocêntrico. A cosmologia moderna é baseada em evidências científicas.

A mais bem sucedida dentre elas estabelece um início e, consequentemente, um fim para o Universo; ela ficou conhecida como a teoria da Grande Explosão (do inglês Big Bang). Apesar de esse nome ter surgido de uma manifestação pejorativa dos oponentes dessa teoria, por ironia ele acabou se firmando como nome oficial. As três maiores evidências que sustentam essa teoria são: a abundância dos elementos químicos mais leves, a existência de uma radiação cósmica de fundo, e o avermelhamento da cor das galáxias distantes.

Nesta palestra as teorias cosmológicas mais importantes são discutidas em ordem cronológica. Para tornar a apresentação mais didática são simuladas "viagens" que vão desde o começo no início do Universo, das menores escalas até as grandes escalas. A partir daí, discute-se cronologicamente o aparecimento das primeiras galáxias, das primeiras estrelas, dos planetas e da vida terrestre. Por fim, discute-se a previsão moderna do futuro do Universo.


Telescópios

Palestra indicada para todas as idades.

Os telescópios evoluíram muito. Principalmente nas duas últimas décadas. Seus avanços tecnológicos contribuíram bastante no nosso dia-dia, como os ccd's das câmeras digitais. Inúmeros fatores como: custo, tipos de objetos a se observar e escuridão do céu local influenciam na decisão de construção desses instrumentos, e até mesmo a possibilidade de se construir telescópios espaciais são levados em conta.

Nessa palestra esses pontos são discutidos, assim como projetos futuros para grandes telescópios. Nessa palestra é discutido também o uso de telescópios amadores, qual é o melhor para você usar e se divertir, e onde e qual comprar, tipos de montagem etc.


Saiba mais: