Carreira e mercado de trabalho

As Ciências Atmosféricas têm sido cada vez mais valorizadas na sociedade devido a questões regionais (previsão do tempo e qualidade do ar) e questões globais (alterações climáticas, poluição atmosférica, aquecimento global, buraco da camada de ozônio). Estudos dos Recursos Hídricos, a Agrometeorologia e a Modelagem Atmosférica são alguns dos setores em expansão no mercado de trabalho para o meteorologista.

Os estudantes de Meteorologia no IAG/USP recebem formação versátil, englobando as diversas áreas de atuação. São treinados nos mais recentes avanços do sensoriamento remoto como radares meteorológicos, satélites ambientais e detectores de descargas elétricas na atmosfera.

Durante a graduação, também têm a oportunidade de participar de projetos de Iniciação Científica (desenvolvimento de projetos de pesquisas acadêmicas com a orientação de docente), com possibilidade de bolsas. Estágios (não-obrigatórios) podem ser realizados em empresas privadas e órgãos públicos.

Regulamentação da profissão de meteorologista

No Brasil, o exercício da profissão de meteorologista é regulamentado pela Lei Federal Nº 6.835, de 14 de outubro de 1980.