Digitalização e Disponibilização de sismogramas e magnetogramas históricos

Coordenador do projeto: Prof. Dr. Marcelo Belentani de Bianchi

Os alunos irão participar do projeto de digitalização do acervo de mais de 200000 sismogramas em papel pertencentes ao centro de sismologia do IAG/IEE/USP e de mais de 60000 magnetogramas em papel dos Observatórios Magnéticos de Vassouras e Tatuoca, e após a digitalização, serão disponibilizadas para consulta online através de um portal a ser desenvolvido dentro do IAG. Em uma segunda etapa, serão desenvolvidos métodos para tratar e recuperar a informação contida nas imagens digitalizadas, fornecendo então a toda a comunidade acesso aos dados de sismogramas com registros dos sismos importantes ocorridos no Brasil entre 1976 e 1995, e dos magnetogramas com o registro contínuo do campo magnético do Brasil no último século. A conversão dos dados magnéticos para o formato digital, além de representar um importante resgate do primeiro conjunto de dados Geofísicos obtidos de forma sistemática na América do Sul, permitirá estudar as séries históricas sobre a principal anomalia magnética na superfície da Terra - a Anomalia do Atlântico Sul - que atualmente desempenha um papel fundamental no controle do campo magnético global. Já a digitalização dos sismogramas visa resgatar a história da sismologia no Brasil dando oportunidade para aplicar novos métodos de estudos de crosta e manto, e mesmo de relocalização dos terremotos históricos aos dados coletados desde 1976 no IAG/USP.
Os bolsistas deste projeto terão contato direto com o Centro de Sismologia e do Grupo de Paleomagnetismo da USP, participando da rotina dos laboratórios e aprendendo a manter e gerenciar os dados.