Doutorado: Estudos dos processos microfísicos em tempestades nos ambientes urbanos e rurais a partir de sensoriamento remoto de alta resolução espaço-temporal

Data: 
16/11/2016 - 14:00
Local: 
Sala 15 do IAG (Rua do Matão, 1226, Cidade Universitária)


Defesa de tese de doutorado
Aluno: Ivon Wilson da Silva Júnior
Programa: Meteorologia
Título: Estudos dos processos microfísicos em tempestades nos ambientes urbanos e rurais a partir de sensoriamento remoto de alta resolução espaço-temporal

Comissão julgadora
1) Prof. Dr. Augusto José Pereira Filho – IAG/USP
2) Profa. Dra. Maria Assunção Faus da Silva Dias – IAG/USP
3) Prof. Dr. Fabio Luiz Teixeira Gonçalves – IAG/USP
4) Prof. Dr. Hugo Abi Karam – UFRJ/Rio de Janeiro-RJ
5) Prof. Dr. Nelson Jesuz Ferreira – INPE/São José dos Campos-SP
 
Resumo
O objetivo principal deste projeto de pesquisa foi realizar estudos microfísicos de tempestades sobre a Região Metropolitana de São Paulo (RMSP) por meio de sensoriamento remoto de alta resolução espaço-temporal. Foram utilizados os dados do Radar Móvel Banda X MXPOL, Radar Banda S de São Paulo, imagens do satélite Meteosat Segunda Geração, disdrômetro Joss-Waldvogel e dados complementares de superfície. Uma base de dados de tempestades foi organizada a partir das medições simultâneas disponíveis, foram selecionados seis eventos de tempestades, quatro casos analisados com dados do radar MXPOL e dois casos com radar Banda S. A metodologia utilizada para processamento dos dados de radar compreende controle de qualidade dos dados de radar, correção da atenuação em Banda X pelo método da auto-consistência, cálculo da distribuição de tamanho de gotas e análises de histogramas de freqüência, para os dados do satélite foi calculado deslocamento paralaxe e comparações com dados do radar além de análise de perfis e diferenças de canais infravermelhos e vapor de água. Para os casos analisados com disdrômetro constatou-se que a concentração de gotas observada sobre a RMSP é maior que a observada durante experimento sobre sistemas convectivos na Amazônia durante a realização do projeto LBA, com relação à correção da atenuação em Banda X foi verificado bom desempenho para ecos de chuva localizados a distâncias menores que 40 km a partir do radar. Os resultados obtidos contribuem para melhor compreensão de tempestades e podem melhorar a simulação de processos microfísicos em modelos numéricos e subsidiar sistemas de alerta e previsão de curto prazo.
Palavras-Chave: Tempestades, Radar Meteorológico, Microfísica da Precipitação, Atenuação por Chuva, Distribuição de Tamanho de Gotas