Doutorado: Modelos de fotoionização de novas: o uso de imagens e cubos de dados em simulações tridimensionais

Data: 
30/11/2018 - 09:30
Local: 
Sala 15 do IAG (Rua do Matão, 1226, Cidade Universitária)


Defesa de tese de doutorado
Aluno: Larissa Takeda
Programa: Astronomia
Título: Modelos de fotoionização de novas: o uso de imagens e cubos de dados em simulações tridimensionais

Comissão julgadora
1) Prof. Dr. Marcos Perez Diaz –IAG/USP
2) Prof. Dr. Roberto Dell'Aglio Dias da Costa –IAG/USP
3) Prof. Dr. Alessandro Ederoclite –IAG/USP
4) Prof. Dr. Albert Josef Rudolf Bruch – LNA-MCTIC/Itajubá-MG
5) Prof. Dr. Valério Alípio Roberts Machado Ribeiro – Universidade de Aveiro/Portugal - por videoconferência
6) Prof. Dr. Kepler de Souza Oliveira Filho –UFRGS/Porto Alegre-RS - por videoconferência
 
 
Resumo
Este trabalho apresenta um aprimoramento nos modelos de fotoionização de envoltórios de novas a partir de tratamentos tridimensionais. Nós utilizamos mapeamentos detalhados da distribuição do gás circumbinário por meio de técnicas de imageamento com óptica adaptativa e espectroscopia espacialmente resolvida (cubos de dados). Tais dados são utilizados em uma versão atualizada do código RAINY3D que permite a caracterização assimétrica da fonte ionizante e do envoltório. São apresentados 3 casos que ilustram as capacidades e vantagens desse tipo de tratamento. No caso da nova RS Oph, obtivemos e reduzimos dados de espectroscopia espacialmente resolvida no óptico do Gemini-GMOS(IFU), com os quais foi possível realizar comparações entre a emissão da fonte central e do envoltório. Diagnósticos de linhas e de perda de massa também foram realizados para esse objeto. Para a nova V723 Cas, utilizamos dados de espectroscopia de campo integral do Keck-OSIRIS com óptica adaptativa no infra-vermelho. A qualidade de imagem, próxima ao limite de difração, permitiu uma extensa análise do envoltório e da fonte central. Nesse caso, um mapeamento 3D da distribuição de gás foi utilizado nos modelos de fotoionização, assim como a anisotropia do campo de radiação ionizante indicado pelas observações. Os resultados apontam para uma fonte central composta ao menos parcialmente por um disco de acresção reestabelecido e para valores de abundâncias da Al, Ca e Si revisados. Foram feitos modelos de diferentes graus de complexidade, partindo dos tradicionais modelos unidimensionais, ainda muito utilizados, para os modelos detalhados com geometrias complexas. Esse estudo endossa a necessidade de um tratamento detalhado e personalizado, que permite o ajuste simultâneo de fluxos de linhas, razões de fluxos de linhas e estruturas das imagens nas linhas. Por fim, apresentamos o estudo da nova V382 Vel, a partir de imageamentos com óptica adaptativa realizados com o SOAR-SAMI, nos filtros de linha de Ha e [O III] 5007A. O uso do módulo de óptica adaptativa permitiu a obtenção da melhor resolução espacial das imagens de uma nova de neônio até então. Assim foi possível medir seu diâmetro angular e, com a distância estipulada pelo projeto Gaia, estimar sua velocidade de expansão média. Novamente foi feito o mapeamento da distribuição de gás para ser utilizado nas simulações RAINY3D. No entanto, devido à ausência do eixo espectral, mostramos uma alternativa de deprojeção por meio da transformada inversa de Abel, transformada de Fourier 2D e distribuições randômicas de distância das condensações na linha de visada. Os modelos indicam que a fotoionização na época das observações SOAR-SAMI é mantida pelo disco de acresção. Assim como no caso V723 Cas, conseguimos ajustar os fluxos de linhas, as razões de fluxos de linhas e as estruturas observadas, obtendo valores revisados de abundância de O e de limite superior da massa de hidrogênio e da massa total ejetada no envoltório.
 
Palavras-chave: novas, fotoionização, variáveis cataclísmicas