Mestrado: Astrofotografia como estratégia no ensino da astronomia

Data: 
15/03/2019 - 14:00
Local: 
Auditório ADM210 do IAG (Rua do Matão, 1226, Cidade Universitária)


Defesa de dissertação de mestrado
Aluno:José Antonio do Amaral
Programa: Mestrado Profissional em Ensino de Astronomia
Título: Astrofotografia como estratégia no ensino da astronomia

Comissão julgadora
1 – Prof. Dr. Roberto Dell'Aglio Dias da Costa - MPEA-IAG/USP
2 – Prof. Dr. Rodolfo Langhi – UNESP/Bauru-SP – por videoconferência
3 – Prof. Dr. Gustavo de Araujo Rojas – UFSCar/São Carlos-SP – por videoconferência
 
 
Resumo
Nesta dissertação, a observação do Céu Noturno utilizando como instrumento câmeras fotográficas comuns, sem qualquer pretensão profissional, adquire uma dimensão importante como instrumento de apoio ao Ensino de Astronomia, permitindo que estudantes de escolas públicas, ou qualquer pessoa interessada em aprender astronomia, tenha fácil acesso, uma vez que instrumentos óticos como telescópios, são acessíveis a bem poucos. Sob este ponto de vista, é vital oferecer aos estudantes da escola básica e a toda e qualquer pessoa interessada em ciências, oportunidade de participarem de atividades didáticas através da fotografia do Céu Noturno, resgatando assim o hábito latente de olhar para céu, esquecido pelas novas gerações, vítimas da poluição atmosférica e luminosa, fruto de nossa tecnologia mal dimensionada. O objetivo é incentivar o interesse pela astronomia, estabelecendo um contato sistemático deles com o Céu Noturno, despertando em cada um a questão fundamental: qual posição ocupamos no contexto do Universo. Este trabalho se preocupa principalmente em proporcionar estratégias acessíveis para fotografar o Céu e de como tratar sobre propostas didáticas para a Fotografia do Céu, utilizando equipamentos simples. Nosso objeto de estudo partiu de uma análise dos conteúdos de astronomia presentes na grade de Ensino Médio das escolas administradas pelo Centro Paula Souza, vinculados aos Parâmetros Curriculares Nacionais. Essa avaliação se apoiou em dois pontos de vista. No primeiro a análise se deu a partir dos conteúdos de astronomia presentes nos livros didáticos adotados pelas escolas para o triênio 2018/2019/2020, alinhados com os Parâmetros Curriculares Nacionais e a grade do ensino médio nas escolas técnicas. O segundo ponto de vista se deu através de uma pesquisa on-line com os estudantes dessas escolas, avaliando o percentual desses conteúdos a que eles efetivamente tiveram contato. Para subsidiar a análise desses percentuais, executamos um estudo sobre o conteúdo de Astronomia, na qual foram elencadas cinco questões, ligadas à proposição de temas abordados pelos professores das disciplinas que contém o tema Astronomia – “História da Astronomia”; “Sistema Solar”; “Estações Climáticas”; “Sistema Terra-Lua-Sol” e “Constelações do Hemisfério Sul”. Os resultados mostram que, apesar da coerência entre os Parâmetros Curriculares Nacionais e a grade do ensino médio analisados, um percentual significativo de estudantes disseram não terem tido contato com um ou mais temas. A pesquisa serviu como norteadora da necessidade de elaboração e da aplicação de um material didático composto por atividades e oficinas que, utilizando a fotografia do Céu Noturno, a experimentação e construção de materiais didáticos, atuou como catalizador do aprendizado, reforçando esses conteúdos, utilizando as muitas formas de abordar os conceitos contidos no ensino médio, estimulando os estudantes e até mesmo professores a refletir sobre como nos relacionamos e aprendemos sobre o Universo.
Palavras-chave: Ensino de astronomia; câmera digital; identificação de constelações; astrofotografia, astronomia de posição.