Mestrado: Estudo numérico de marés meteorológicas na costa de Moçambique

Data: 
06/06/2017 - 14:00
Local: 
Sala 15 do IAG (Rua do Matão, 1226, Cidade Universitária)


Defesa de dissertação de mestrado
Aluno: Alberto José Bié
Programa: Meteorologia
Título: Estudo numérico de marés meteorológicas na costa de Moçambique

Comissão julgadora
1) Prof. Dr. Ricardo de Camargo – IAG/USP
2) Prof. Dr. Belmiro Mendes de Castro Filho - IO/USP
3) Prof. Dr. Afonso de Moraes Paiva - UFRJ/Rio de Janeiro-RJ
 
 
Resumo
A costa de Moçambique é frequentemente afetada por intensa atividade meteorológica ao longo do Canal de Moçambique, seja por ciclones tropicais ou extratropicais. Marés meteorológicas combinadas com elevadas descargas fluviais podem resultar em inundações costeiras, afetando tanto áreas urbanas como rurais. Para aumentar a compreensão sobre o impacto das marés meteorológicas em Moçambique, este estudo apresenta a primeira tentativa de modelar o fenômeno através da implementação do modelo de circulação oceânica Princeton Ocean Model (POM) no domínio do sudoeste do oceano Índico (2-32°S, 28-85°E) em uma grade regular com resolução espacial de 1/6°, forçado a partir de campos de vento e fluxos provenientes da reanálise CFSR (NCEP Climate Forecast System Reanalysis) e condições iniciais fornecidas pelo SODA2.2.4 (Simple Ocean Data Assimilation version 2). As simulações foram feitas para o período 1979-2010 e suas validações incluíram comparações em larga escala e em regiões costeiras. Os resultados das simulações mostraram que o modelo conseguiu representar devidamente as amplitudes e fases das principais constituintes harmônicas da maré astronômica, solar e lunar, com ligeiras deficiências na costa de Moçambique. O modelo foi capaz de capturar o padrão de distribuição espacial e as magnitudes da TSM embora com ligeiro viés positivo. Em termos da elevação da superfície do mar, modelo subestimou a variabilidade no Canal de Moçambique e áreas adjacentes. A validação do modelo para eventos específicos de marés meteorológicas mostrou resultados satisfatórios, enfatizando sua aplicabilidade para representação do fenômeno na área de estudo. Experimentos de sensibilidade mostraram uma contribuição significante da pressão atmosférica na amplitude da maré meteorológica, superando a contribuição da maré astronômica por um fator de 2. A análise de extremos revelou que maiores extremos de marés meteorológicas são encontrados em partes da costa de Moçambique e Madagascar, relacionados a ocorrência de ciclones tropicais enquanto os extremos dos níveis totais mostraram que a maré astronômica é o fator dominante na região.
Palavras chave: Marés meteorológicas, costa de Moçambique, ciclones tropicais.