Mestrado: Estudo dos eventos de geadas na serra peruana em simulações climáticas regionais

Data: 
02/03/2016 - 14:00
Local: 
Sala 15 do IAG (Rua do Matão, 1226, Cidade Universitária)


Defesa de dissertação de mestrado
Aluno: Cristina Pamela Davila Arriaga
Programa: Meteorologia
Título: Estudo dos eventos de geadas na serra peruana em simulações climáticas regionais

Comissão julgadora
Profa. Dra. Rosmeri Porfirio da Rocha - IAG/USP
Prof. Dr. Julio Pablo Reyes Fernandez - CPTEC/INPE 
Profa. Dra. Maria Elisa Siqueira Silva – FFLCH/USP 
 
Resumo
As geadas são eventos meteorológicos que apresentam maior intensidade e frequência na região dos Andes pela influência da elevada topografia e são identificadas com temperaturas mínimas diárias iguais ou menores que 0ºC. Nos últimos anos, os modelos climáticos regionais (MCR) têm sido usados na análise, validação e projeções futuras do clima devido à maior resolução espacial da grade com que podem ser executados. O objetivo principal deste trabalho foi avaliar a tendência futura da ocorrência das geadas nos Andes peruanos usando diferentes simulações climáticas do MCR RegCM4.3. Além disto, foram analisados os padrões sinóticos durante a ocorrência de geadas através análise de composições. As simulações do RegCM4.3 foram aninhados na reanalise ERA-Interim (RegERAInterim) e nos modelos globais HadGEM2-ES (RegHadGEM), GFDL-ESM2M (RegGFDL) e MPI-ESM-MR (RegMIP) no clima presente (1971-2005) e futuro (2060-2090) no cenário RCP8.5.  Utilizou-se a técnica estatística perfect prog para ajustar a temperatura mínima observada e simulada no clima presente. Três zonas (zona norte – ZN, zona centro – ZC e zona sul – ZS) foram consideradas para identificar as geadas. No clima presente, todas as simulações apresentam bias quente comparado com os dados observados nas três zonas de análise, enquanto que a análise do Climate Research Union (CRU) mostra bias frio. Encontrou-se que o perfect prog melhora a representação do ciclo anual simulado especialmente na ZC e ZS, diminuindo o bias quente. As tendências históricas entre 1971 – 2005 indicam aumento de frequência de geadas na ZN, diminuição de geadas no verão e outono da ZC e ausência de tendência na ZS. O ciclo anual da frequência de geadas na ZC e ZS apresentam valores máximos no inverno e mínimos no verão, enquanto que a ZN mostra dois valores máximos de geadas: em julho e novembro. A frequência de geadas aumenta desde a ZN com máximos de 4%, ZC com 60% e ZS com 80% no inverno. Segundo as anomalias de composições, as geadas no inverno ocorrem por o resfriamento radiativo nas noites de céus abertos, pouca umidade na atmosfera, subsidência do ar e enfraquecimento dos ventos de oeste em 500 hPa. A maioria das simulações reproduzem a maior parte destes padrões durante a ocorrência de geadas, exceto na circulação em 500 hPa. Todas as projeções futuras indicaram uma diminuição na ocorrência de geadas ao longo do ano para as três zonas de análise.
 
Palavras-chave: geadas, temperatura mínima diária, região Andina, RegCM4.3, perfect prog, análise de composições.