Mestrado: O impacto dos fatores de risco ambiental na mortalidade cardiovascular e respiratória na Califórnia (1975-2005)

Data: 
05/07/2018 - 14:30
Local: 
Auditório 2 do IAG (Rua do Matão, 1226, Cidade Universitária)


Defesa de dissertação de mestrado
Aluno: Jose Angel Riandes Gonzalez
Programa: Meteorologia
Título: O impacto dos fatores de risco ambiental na mortalidade cardiovascular e respiratória na Califórnia (1975-2005)

Comissão julgadora
1) Prof. Dr. Fábio Luiz Teixeira Gonçalves - orientador – IAG/USP
2) Profa. Dra. Leila Maria Vespoli de Carvalho –UCSB/EUA - por videoconferência
3) Profa. Dra. Ligia Vizeu Barroso – FFLCH/USP
 
Resumo

O presente trabalho tem como objetivo avaliar a influência das variáveis ambientais na mortalidade de idosos (acima de 65 anos) por doenças cardiovasculares (DCV) e respiratórias (RES), nos condados de Los Angeles, Orange e Santa Bárbara na Califórnia, através de análises estatísticas, em particular de componentes principais (ACP). Para isso foram utilizados dados diários das estações meteorológicas dos condados (temperatura, pressão, umidade e velocidade do vento), de poluição do ar (NO2, CO, SO2 e O3) e da mortalidade por DCV e RES, durante o período 1975-2005. Além disso, foram calculados 7 índices de conforto  térmico e estabelecidas as zonas de conforto para diferentes graus de percepção térmica a partir do índice de Temperatura Efetiva (TE). Os resultados verificaram tendências diferentes na variação temporal das DCV e RES. Enquanto as doenças RES tiveram um aumento bastante leve em todos os condados, as DCV apresentaram uma ligeira diminuição nos condados de Orange e Santa Bárbara, e uma diminuição constante e acentuada no condado de Los Angeles. Também se verificou uma variação sazonal significativa, com evidente aumento do número de óbitos de ambas as doenças durante o inverno e queda durante o verão. Em relação aos poluentes, foram observadas muitas ultrapassagens dos padrões nacionais de qualidade do ar principalmente para o O3, com 1443 vezes para o condado de Los Angeles, 771 para o Orange e 114 para Santa Bárbara. A partir dos índices de conforto térmico notou-se que o mês mais estressante devido ao calor foi setembro principalmente para os condados de Los Angeles e Santa Bárbara, e julho e agosto para o condado de Orange. Analisando a média de óbitos por sensação térmica observou-se um aumento das doenças nos extremos, principalmente quando a sensação é Muito Frio, com médias por doenças RES de 16,42, 3,31 e 0,81 e por DCV de 77,32, 15,37 e 2,92 nos condados de Los Angeles, Orange e Santa Bárbara, respectivamente. Com base na análise de correlação entre as variáveis e as doenças, observaram-se as melhores correlações no condado de Los Angeles, tanto para as doenças RES quanto DCV, e as correlações mais baixas foram observadas no condado de Santa Bárbara. Os resultados da ACP nos condados de Los Angeles e Orange verificaram o aumento da mortalidade por DCV no inverno, associadas a correlações positivas com os níveis de poluição principalmente em Los Angeles e ao estresse por frio, umidade e vento (via índice de conforto térmico) em Orange. Por outro lado, a mortalidade por doenças RES esteve mais associada às variações meteorológicas do que às concentrações de poluentes, observando-se associações positivas com o índice de calor (IC). Neste sentido, o condado de Orange apresentou maiores correlações com IC do que o condado de Los Angeles, além de uma variância maior (11,36 % contra 9,89 %). Por último, no condado de Santa Bárbara os resultados foram muito diferentes, já que tanto episódios de frio quanto de calor não mostraram impactos claros na população idosa, com respeito a ambos os grupos de doenças. O distintivo foi que os níveis de SO2 tiveram a maior associação positiva à mortalidade principalmente por DCV (0,53), embora tiver este condado as concentrações mais baixas das estudadas (média de 0,29 ppb). Em suma, os condados possuem estruturas sociais diferentes, apesar da semelhança do clima, fazendo com que os resultados sejam bastante dispares entre os mesmos. As perspectivas destes estudos pretendem colocar estes resultados para climas futuros, pois diversos episódios de ondas de calor ocorreram após o ano de 2005.

Palavras-chave: Doenças Cardiovasculares (DCV). Doenças Respiratórias (RES). Índices de Conforto Térmico. Análises de Componentes Principais (ACP).