Mestrado: Clima presente e tendências climáticas usando modelo regional RegCM4 sobre regiões de topografia complexa dos Andes

Data: 
02/04/2019 - 14:00
Local: 
Auditório ADM210 do IAG (Rua do Matão, 1226, Cidade Universitária)


Defesa de dissertação de mestrado
Aluno: Decker Guzmán Zabalaga
Programa: Meteorologia
Título: Clima presente e tendências climáticas usando modelo regional RegCM4 sobre regiões de topografia complexa dos Andes

Comissão julgadora
1- Profa. Dra. Rosmeri Porfírio da Rocha – IAG/USP
2- Prof. Dr. Marcos Froilan Andrade Flores – UMSA/Bolivia – por videoconferência
3- Profa. Dra. Marta Pereira Llopart – UNESP/Bauru-SP
 
 
Resumo
Este estudo utilizou três simulações do RegCM4 forçado por três diferentes modelos globais (GFDL, HadGEM2 e MPI) do CMIP5 (Coupled Model Intercomparison Project Phase 5) para avaliar o clima presente (1981-2005) e o cenário futuro RCP8.5 (2006-2096) sobre regiões de topografia complexa dos Andes. A avaliação do desempenho do modelo na Cordilheira dos Andes foi feita através de comparações com dados de estações meteorológicas e dados interpolados (CRU - Climate Research Unit, CHIRPS - Climate Hazard Group InfraRed Precipitation e CPC-Climate Prediction Center) em quatro sub-regiões representativas, obtidas por análise de cluster. No clima presente, as três simulações do RegCM4 superestimam a precipitação em regiões situadas em alturas entre 3000 e 4200 m. Em geral, nas montanhas dos Andes, as amplitudes dos ciclos anuais de precipitação são maiores no RegCM4 do que nas observações. Isto indica que o RegCM4 simula grande disponibilidade de vapor de água na atmosfera, resultando em maiores taxas de precipitação, principalmente no período úmido. Em termos de circulação, no clima presente os ventos em 850 hPa, através do Jato de Baixos Níveis (JBN), indicam forte convergência de massa sobre os Andes favorecendo movimentos ascendentes intensos e um deslocamento para oeste da alta da Bolívia comparado com a reanálise. Estes fatores contribuem para explicar a superestimativa de chuva na região nas simulações. As simulações representam qualitativamente a variabilidade interanual de temperatura e precipitação, mas em geral, nota-se uma intensificação desse sinal, tanto no clima presente como futuro, principalmente quando o RegCM4 é aninhado no GFDL. As projeções climáticas futuras em função da latitude foram estimadas em um período de 30 anos (2030-2060) e mostram predominância de tendência de aquecimento em todas as latitudes e de redução da chuva no futuro, exceto nas simulações do RegCM4 forçado pelo MPI. Para a temperatura do ar, as funções densidade de probabilidade de (PDF) mostram um deslocamento para a direita no clima futuro (2030–2060), com consequente aumento de eventos intensos o que pode afetar o ciclo hidrológico na Cordilheira dos Andes. Sobreposta às tendências, o sinal interanual em cada uma das três simulações está presente nas projeções futuras do clima com amplitude similar àquela do clima presente.
Palavras-chave: Região Andina, RegCM4, análise estatística, tendências climáticas