Estação Meteorológica do IAG-USP lança Boletim Climatológico Anual de 2015

O Boletim Climatológico Anual da Estação Meteorológica do IAG-USP do ano de 2015 já está disponível para download. Para acessá-lo diretamente: www.estacao.iag.usp.br/Boletins/2015.pdf
 
 
O Boletim Climatológico Anual da Estação Meteorológica do IAG-USP apresenta informações detalhadas das observações temperatura, precipitação, umidade relativa, vento, fenômenos meteorológicos (garoa, granizo, geada, trovoada, orvalho e nevoeiro) e radiação solar registradas ao longo de 2015. No documento, as observações de 2015 são comparadas com as de 2014 e com a média e com as normais climatológicas. 
 
Anualmente, junto com o Boletim Climatológico, atualizamos a tabela de Recordes Meteorológicos da Estação Meteorológica do IAG-USP. Em seguida, a tabela com esses recordes e os principais destaques de 2015. 
 

Recorde

Valor

Data

Maior temperatura

37,2°C

17 de Outubro de 2014

Menor temperatura

-1,2°C

6 de Julho de 1942

Mês mais chuvoso

653,2mm

Janeiro de 2010

Mês menos chuvoso

0,4mm

Julho de 2008

Maior acumulação de precipitação em 24h

 

145,9mm

 

6 de Março de 1966

Ano mais chuvoso

2236,0mm

1983

Menor umidade relativa

12%

23 de Novembro 1968

Maior rajada de vento registrada

101km/h

24 de Novembro de 1973

Mês com mais dias com trovoadas

26 ocorrências

Janeiro/2010

Ano com mais dias com trovoadas

114 ocorrências

1976

 
O ano de 2015 foi chuvoso, com chuva acima da média climatológica. O total de chuva acumulada foi 1829,4mm, 30% acima da média climatológica de 1407,9mm, calculada de 1933 a 2015. Foi o 8° ano mais chuvoso da série. O mais chuvoso da série foi o ano de 1983, com total de 2236,0mm.
 
Os meses mais chuvosos de 2015 foram: Janeiro, Fevereiro, Março, Julho, Setembro, Novembro. Destaque para os meses de Julho, Setembro e Novembro, nos quais choveu mais que o dobro das respectivas médias climatológicas. 
 
Em 2015 não registramos nenhum recorde absoluto, portanto a tabela anterior mantém-se inalterada com relação ao Boletim Climatológico Anual de 2014. No entanto, registramos três recordes absolutos mensais: 
  • 19 de Janeiro de 2015: 36,2°C (o anterior era 03 de Janeiro de 2014, 36,1°C);
  • 31 de Agosto de 2015: 33,2°C (o anterior era 31 de Agosto de 1963, 3,3,0°C);
  • 24 de Setembro de 2015: 36,1°C (o anterior era 27 de Setembro de 1988, 35,3°C).
 
Todos os meses de 2015 apresentaram temperaturas médias mensais maiores que a Normal (1933-1960), a Normal (1961-1990) e a Média histórica (1933-2015). Os meses de destaque com maior temperatura média com relação a suas respectivas médias são: Janeiro (12,0% acima da média), Julho (12,1% acima da média), Agosto (13,4% acima da média), Setembro (15,9% acima da média), Outubro (13,9% acima da média), Novembro (11,5% acima da média) e Dezembro (11,2% acima da média). O ano como um todo ficou 9,3% acima da média climatológica. As temperaturas elevadas foram um grande destaque no ano de 2015. A temperatura média anual e a temperatura média mínima anual foram as maiores já registradas desde 1933 (20,4°C, valor que se iguala ao registrado em 2002 e 16,3°C, respectivamente). A temperatura média máxima anual foi a 2° maior desde 1933 (26,8°C), valor que se iguala ao de 2002 e sendo superado apenas pela temperatura média máxima de 2014 (26,9°C). A maior temperatura registrada em 2015 foi 36,4°C, em 15 de Outubro e a menor temperatura registrada foi 8,2°C, em 27 de Julho.
 
O ano de 2015 foi chuvoso, com chuva acima da média climatológica. O total de chuva acumulada foi 1829,4mm, 30% acima da média climatológica de 1407,9mm, calculada de 1933 a 2015. Foi o 8° ano mais chuvoso da série, sendo 1983 o ano mais chuvoso, com total de 2236,0mm. Os meses mais chuvosos de 2015 foram: Janeiro, Fevereiro, Março, Julho, Setembro, Novembro. Destaque para os meses de Julho (7° mês de julho mais chuvoso de toda a série), Setembro (3° mês de setembro mais chuvoso da série) e Novembro (2° mês de novembro mais chuvoso da série). Nesses três meses citados, choveu mais que o dobro das respectivas médias climatológicas. A maior precipitação diária em 2015 foi 85,0mm, no dia 08 de Setembro. O maior acumulado horária em 2015 foi 39,5mm, no dia 27 de Janeiro, entre 20h-21h. A maior sequência de dias com chuva em 2015: 13 dias (de 19 a 31 de Dezembro). Vale também destacar o mês de Novembro, em que foram registrados 28 dias com chuva. E finalmente a maior sequência de dias sem chuva em 2015 foi 8 dias (de 3 a 10 de Agosto). Vale também destacar um período mais longo, entre 26 de julho e 26 de agosto, em que não foi registrado nenhum dia com chuva maior que 0,1mm.
 
Considerando a umidade relativa média, o ano de 2015 teve umidade relativa média maior que o ano de 2014 (80,8% e 77,7%, respectivamente).  Os meses de Janeiro, Agosto, Setembro, Outubro e Dezembro tiveram umidade relativa média abaixo da média e da normal. O menor valor de umidade relativa registrado em 2015 foi 19%, observado em 24 de Setembro. Em 2015, foram 22 dias com baixa umidade relativa (inferior a 30%) e a média é de 18 dias com esta característica. Em termos de períodos secos, podemos ressaltar os meses de Agosto a Outubro pela grande quantidade de dias com baixa umidade relativa.
 
Em 2015, os seguintes dias tiveram rajada igual ou superior a 15 m/s (54km/h): 12 de Janeiro de 2015, com  17m/s; 14 de Janeiro de 2015, com 17m/s;  24 de Fevereiro de 2015, com 15m/s;  25 de Fevereiro de 2015, com 15m/s; 28 de Setembro de 2015, com 15m/s e 23 de Novembro de 2015, com 16m/s. 
 
Durante o ano de 2015 foram registrados 128 dias com ocorrência de garoa (em 2014, foram 117), bem acima da média climatológica (88 dias). O ano com maior número de dias com garoa foi 2004, com 147 dias. Como destaque, temos Janeiro, Fevereiro, Março, Maio, Junho, Setembro, Outubro e Novembro ficaram significativamente acima das respectivas médias climatológicas.
 
Durante o ano de 2015 foram registrados 156 dias com orvalho. A média climatológica é de 138 dias. O ano com maior quantidade de dias com orvalho foi 2001, com 226 dias, de acordo os registros da EM-IAG. A média climatológica indica que o período em que costuma ocorrer mais dias com orvalho é entre os meses de Abril e Agosto. Maio costuma ser o mês com mais dias de orvalho. Em 2015, exceto pelos meses de Março, Novembro e Dezembro, os demais meses apresentaram mais dias de orvalho que a média climatológica.
 
A quantidade de dias com nevoeiro em 2015 foi de 49 dias. A média climatológica é 120 dias. O ano com mais dias em que este fenômeno foi registrado foi 1977, com 212 dias. Todos os meses deste ano tiveram menos dias com nevoeiro do que a média climatológica. Julho foi o mês com mais dias de nevoeiro: foram 10 dias com o fenômeno, 5 dias a menos que a média climatológica.
 
Foram registrados 83 dias com trovoadas ao longo de 2015, um pouco acima da média climatológica que é de 79 dias. O ano com maior ocorrência de trovoadas desde o início dos registros dessa variável (1958) foi 1976, com 114 dias. Janeiro, Fevereiro, Setembro, Novembro e Dezembro tiveram mais dias com trovoada que as respectivas médias climatológicas. Os demais meses tiveram dias com trovoada em número abaixo ou muito próximo das médias climatológicas.
 
Em 2015, foram registrados 4 dias com a ocorrência de granizo, sendo 3 desses dias em Janeiro e 1 em Fevereiro: 2 de Janeiro de 2015, 14 de Janeiro de 2015, 24 de Janeiro de 2015 e 24 de Fevereiro de 2015.  O ano com mais ocorrências foi 2001, com 7 ocorrências do fenômeno.
 
A geada não é um fenômeno comum na EM, já que a nossa localização geográfica e o crescimento urbano não propiciam sua formação. Em 2015, não registramos o fenômeno. De 1933 até 2015, foram registrados 70 episódios de geada, destacando-se o ano de 1979 e 1994, cada um com 5 dias de ocorrência do fenômeno. O fenômeno não era registrado na EM-IAG-USP desde 2012.  Em 2011, foram 2 dias com este fenômeno (* Até este momento, em 2016 registrou-se geada em 3 ocasiões: nos dias 11,12 e 13 de junho).
 
Os meses de Janeiro e Agosto tiveram total de irradiação solar global acima da média climatológica. Com relação aos máximos e mínimos mensais de irradiação solar global, não houve nenhum recorde em 2015. O recorde mais recente é um recorde de maior irradiação solar global, registrado em Janeiro/2014 (732,5MJ/m2).
 
Os meses de Janeiro, Fevereiro, Junho e Agosto de 2015 tiveram insolação acima da média climatológica; os demais meses ficaram abaixo ou muito próximos da média climatológica.  Com relação aos recordes de mínimos e máximos mensais, não houve nenhuma alteração com relação ao Boletim Climatológico de 2014. O recorde mais recente ocorreu em Julho/2009, quando foi registrado o menor valor de número mensal de horas de brilho solar de todos os meses de Julho. Foram em média 75 dias ensolarados em 2015 (a média climatológica é de 79 dias).
 
Anualmente, escolhemos uma das fotografias tiradas na Estação Meteorológica como capa do boletim. A capa do Boletim Climatológico Anual de 2015 é uma fotografia de 26/09/2015, tirada por Willians Garcia. A imagem mostra o fenômeno de coroa lunar, que é um fenômeno óptico que ocorre devido a difração da luz pelas gotículas e cristais de gelo das nuvens que cobrem o disco lunar. Como resultado, temos vários anéis concêntricos de cores diferentes.  

 

No Boletim também destacamos as principais atividades realizadas na Estação Meteorológica do IAG-USP ou que contaram com a colaboração e participação dos funcionários: minicursos, Semana Nacional de Ciência e Tecnologia, visitas escolares, etc. Também há um capítulo descrevendo a atuação da Estação Meteorológica nas Redes Sociais, principalmente na mais popular delas (Facebook), onde temos uma fanpage.

 

Texto de Samantha N.S. Martins Almeida, meteorologista da Estação Meteorológica do IAG.