Infraestrutura

 

Os principais recursos instrumentais à disposição do Programa de Pós-Graduação em Astronomia estão localizados no Laboratório Nacional de Astrofísica (LNA), em Brazópolis (MG), onde há em operação um telescópio de 24 polegadas, e no Observatório Abrahão de Morais, em Valinhos (SP), onde estão instalados basicamente instrumentos astrométricos.

No LNA, os pesquisadores ainda têm acesso a um telescópio de 1.6 m aberto a toda a comunidade nacional em iguais condições, mediante a apresentação de projeto científico. Em Itapetinga (SP), os radioastrônomos têm acesso à antena de 13.7 m que opera na faixa milimétrica do espectro eletromagnético.

Além desses recursos, os pesquisadores competem com astrônomos europeus e americanos no uso dos telescópios internacionais ESO e CTIO, localizados no Chile e em outros países. Recentemente, a comunidade nacional se associou aos projetos GEMINI, um consórcio que gerencia dois telescópios de 8 m que disponibiliza 2.5% de tempo aos astrônomos brasileiros, e ao consórcio SOAR, que disponibiliza 30% do tempo. Estes e outros projetos que venham a ser implantados no futuro ampliam assim o leque de opções disponíveis aos pesquisadores do programa.


Integração interna

Internamente na USP, o programa de Pós-Graduação em Astronomia mantém forte relacionamento com os institutos de Física e Matemática, recebendo seus alunos de graduação e trocando experiências na gestão do ensino e da pesquisa. Esse mesmo tipo de intercâmbio também é realizado com outras instituições de pesquisa em Astronomia no Brasil.

Uma fração importante dos alunos do programa são egressos do curso de Habilitação em Astronomia, do Instituto de Física da USP. Os docentes do programa oferecem disciplinas de graduação a esses estudantes, que podem assim tomar um primeiro contato com as áreas de Astronomia e Astrofísica.

Integração externa

O programa também mantém uma ativa colaboração internacional, como forma de aferir suas perspectivas futuras. Docentes e alunos participam de eventos internacionais, apresentando e discutindo seus trabalhos.

Frequentemente, o curso recebe pesquisadores visitantes que oferecem palestras de grande interesse nas áreas específicas de suas pesquisas. Além disso, os diversos grupos organizam sessões de discussão de artigos, procurando atualizar e manter alunos e docentes permanentemente interessados na literatura recente de cada área.