A Evolução da Paisagem na Amazônia: Dinâmica Mantélica x Soerguimento dos Andes

Data: 
26/09/2019 - 16:30
Local: 
Auditório 1

Tácio Bicudo

Doutorando do Departamento de Geofísica

IAG-USP

 

 

Resumo: Durante o Cenozóico, a paisagem e o padrão de sedimentação na região da Amazônia evoluíram sob a influência de diferentes processos geodinâmicos, culminando, no final do Mioceno (~10 Ma), com a formação do sistema de drenagem transcontinental do Rio Amazonas, que passou a transportar sedimentos dos Andes para o Oceano Atlântico Equatorial. Nas últimas décadas, diferentes mecanismos foram propostos para explicar a formação dessa bacia de drenagem transcontinental. Por um lado, é proposto que o soerguimento da cordilheira andina teve um papel fundamental no desenvolvimento da bacia de drenagem do Rio Amazonas como conhecemos hoje, induzindo um fluxo assimétrico de sedimentos no continente. Por outro lado, trabalhos que calcularam a variação topográfica criada pela convecção mantélica, a chamada topografia dinâmica, concluíram que esse processo também alterou significativamente o padrão de drenagem na região e os ambientes de deposição, principalmente na Amazônia Central e Oriental, induzindo uma mudança da inclinação do continente. Porém, na literatura acadêmica não há trabalhos que tenham estudado os dois mecanismos em um mesma modelo integrado. Nesta palestra apresentarei novos cenários numéricos que simulam a evolução da paisagem da Amazônia durante a orogenia andina levando-se em consideração a topografia dinâmica induzida pela convecção mantélica com o objetivo de avaliar a contribuição de cada componente geodinâmica na evolução da paisagem.