Mestrado: Parque dedicado ao Ensino de Astronomia: uma abordagem do Ensino não formal

Data: 
15/06/2020 - 14:00
Local: 
Transmissão online


Defesa de dissertação de mestrado
Aluno: Pablo Roberto Carriel Dalmazzo
Programa: Mestrado Profissional em Ensino de Astronomia
Título: “Parque dedicado ao Ensino de Astronomia: uma abordagem do Ensino não formal”

Comissão Julgadora:
Prof. Dr. Nelson Vani Leister - IAG/USP - por videoconferência
Profa. Dra. Carla Alessandra Barreto - Faculdade de Ensino Superior Santa Bárbara, Tatuí - UFSCar-Sorocaba - por videoconferência
Prof. Dr. Paulo César da Rocha Poppe – UEFS – por videoconferência
 
 
Resumo:
Introdução: a formação do indivíduo ocorre por meio do ensino formal, não formal e informal. O ensino formal é pautado por leis e regras estabelecidas pela união, estado e municípios; já́ o ensino não formal representa o interesse de agremiações, instituições ou grupos sociais na autogestão e aquisição de conhecimentos; e o ensino informal acorre de maneira espontânea através da interação do indivíduo com o mundo que o cerca. Esta dissertação busca os pontos de convergência e propõe um modelo de cooperação entre um espaço de ensino não formal (parque de ensino de astronomia) e o ensino formal e informal. Objetivos: criar e testar um espaço não formal de ensino de astronomia e suas áreas correlatas, contribuindo com o ensino formal. Oferecer para as escolas uma estrutura para ser utilizada pelo(s) professore(s) em atividades de ensino de astronomia. Método: para elaborar e desenvolver as atividades voltadas para o ensino não formal de astronomia e criar a instrumentação necessária para dar suporte as atividades programadas para o parque (nomeado Academia do Saber Astronômico – ASA), foram realizados quatro diagnósticos: 1. questionários diagnósticos com diretores ou coordenadores pedagógicos; 2. questionários diagnósticos com alunos do ensino médio; 3. questionários diagnósticos com professores; e 4. visitas a outros espaços não formais dedicados ao ensino de astronomia. Para testar a funcionalidade da ASA, foram realizados dois testes pilotos: um com professores do ensino fundamental e médio; e outro com alunos do ensino fundamental. Resultados: foram elaboradas as atividades da ASA com os resultados obtidos nos quatro diagnósticos. A ASA foi aberta para visitas pilotos e testada por professores e alunos. Os resultados dos testes indicam que o parque atingiu os objetivos de contribuir com o ensino formal oferecendo um espaço que ajude os professores a facilitarem a construção de conhecimentos prático e o desenvolvimento das habilidades dos alunos em astronomia. A ASA também pode oferecer visitações públicas que permitam que as pessoas transitem com liberdade pelo espanco e interajam livremente com as atividades do parque. Conclusão: a ASA foi criada e testada, mostrando-se um espaço com potencial para contribuir com o ensino formal de astronomia por meio das atividades propostas e oferecidas no parque.
Palavras-chave: Ensino de astronomia. Ensino não formal. Espaço não formal.