Mestrado: Utilização de métodos geoelétricos para identificação de corpos de barita na região do Vale do Ribeira

Data: 
23/11/2020 - 09:00
Local: 
Transmissão online


Defesa de dissertação de mestrado
Aluno: Fabiana Pereira Lasmar
Programa: Geofísica
Título: “Utilização de métodos geoelétricos para identificação de corpos de barita na região do Vale do Ribeira”

Comissão Julgadora:
Prof. Dr. Vagner Roberto Elis - IAG/USP - por videoconferência
Prof. Dr. Cesar Augusto Moreira – UNESP Rio Claro - por videoconferência
Prof. Dr. Giorgio Francesco Cesare de Tomi – Poli/USP - por videoconferência
 
 
 
Resumo:
A barita (BaSO4) é um mineral industrial utilizado principalmente na indústria petrolífera, no fluido de perfuração, e apresenta uma densidade elevada (4,48g/cm³) quando comparado aos silicatos. A princípio, devido a alta densidade desse sulfato, propõe-se a utilização da gravimetria como método de prospecção, mas em consequência da pequena espessura dos corpos mineralizados, a resolução do método não é eficiente. Assim, esse trabalho propõe a utilização dos métodos elétricos de resistividade e polarização induzida (IP) em corpos mineralizados na região do Vale do Ribeira, para avaliar o potencial da geofísica na identificação do minério. A região do Vale do Ribeira tem um histórico de mineralização polimetálica, além de importantes ocorrências de barita e fluorita. O depósito da região de estudo é caracterizado como do tipo Sedex, com mineralogia predominante de galena, pirita, calcopirita e barita, comum zoneamento vertical na estratigrafia de Cu – Pb – Ba, da base para o topo. Os ensaios realizados na área de estudo tiveram o objetivo de avaliar a resposta geofísica em corpos mineralizados conhecidos, ou seja, aflorantes. Os métodos utilizados foram eletrorresistividade por acoplamento galvânico e por capacitância e polarização induzida, por meio da técnica de caminhamento elétrico (CE) e arranjo dipolo-dipolo. Além dos trabalhos em campo, em laboratório fez-se medidas de resistividade e IP em simulação em caixa com amostra de barita e também medições diretas de resistividade. Esses ensaios corroboram os dados de campo e permitem relacionar as zonas de altas resistividades com os corpos mineralizados de barita. Em relação aos dados de cargabilidade não é possível correlacioná-los diretamente com a mineralização de barita, porém, visto que esse efeito é muito bem pronunciado em elementos metálicos, pode-se ter um indicativo da contribuição metálica, típica dos depósitos SEDEX, nas regiões inferiores dos perfis. 
Palavras-chave: Barita, Resistividade, Cargabilidade, Depósito SEDEX, Vale do Ribeira.