Mestrado: Modelagem e inversão de métodos potenciais do terreno granito-greenstone Rio das Velhas no Noroeste do Quadrilátero Ferrífero

Data: 
12/09/2019 - 14:00
Local: 
Auditório P218 do IAG (Rua do Matão, 1226, Cidade Universitária)


Defesa de dissertação de mestrado
Aluno: Caio Alencar de Matos
Programa: Geofísica
Título: Modelagem e inversão de métodos potenciais do terreno granito-greenstone Rio das Velhas no Noroeste do Quadrilátero Ferrífero

Comissão julgadora
1) Profa. Dra. Yara Regina Marangoni – IAG/USP
2) Dr. Roberto Gusmão de Oliveira – CPRM/Recife-PE – por videoconferência
3) Prof. Dr. Vinicius Hector Abud Louro – IGc/USP
 
Resumo
É comum o uso da modelagem gravimétrica sobre greenstone belts devido ao alto contraste de densidade entre as rochas que preenchem o greenstone (geralmente metamáficas e metaultramáficas) e o seu embasamento (geralmente gnaisses e granitos). O presente trabalho faz modelagens gravimétricas 2D do greenstone belt na região da cidade de Pitangui em Minas Gerais - Brasil. São apresentadas 5 sessões de modelos gravimétricos 2D usando como vínculos uma seção sísmica publicada, seções retiradas da inversão do vetor magnético (MVI), que foi calculada sobre os dados magnetométricos e os limites geológicos mapeados. As modelagens apresentaram a estimativa da geometria do greenstone belt em profundidade, independente se ele aflora ou não. A profundidade máxima do greenstone belt variou de 1 a 5 km, aproximadamente, sendo que a calha vai ficando mais rasa na porção Sul do greenstone. As bordas da modelagem mostraram um contato abrupto do greenstone com o embasamento. Os limites laterais (afloramentos ou não) foram estimados por meio do mapa gravimétrico de anomalia Bouguer. Um resultado importante da modelagem foi o prolongamento do greenstone à NW, sob o Grupo Bambuí.
Palavras-chave: modelagem gravimétrica; inversão do vetor magnético; greenstone Pitangui.