Mestrado: Modelagem de anomalias de dados HTEM para exploração mineral no Quadrilátero Ferrífero, MG

Data: 
13/08/2020 - 14:00
Local: 
Transmissão online


Defesa de dissertação de mestrado
Aluno: Gabriela Serêjo de Oliveira
Programa: Geofísica
Título: “Modelagem de anomalias de dados HTEM para exploração mineral no Quadrilátero Ferrífero, MG”

Comissão Julgadora:
Prof. Dr. Jorge Luís Porsani – Orientador – IAG/USP - por videoconferência
Dr. Luiz Gustavo Rodrigues Pinto – CPRM - por videoconferência
Dr. Dionísio Uendro Carlos - Companhia Vale do Rio Doce - por videoconferência
 
 
 
Resumo:
Nesta pesquisa foi realizada a modelagem 2.5D de anomalias de condutividade elétrica de dados HTEM (Helicopter Transient Electromagnetic), utilizando placas finas ou prismas, com o objetivo de determinar parâmetros geométricos, estruturais e físicos de depósitos de ouro associados a sulfetos localizados no Quadrilátero Ferrífero (QF), Estado de Minas Gerais, Brazil. A modelagem foi realizada utilizando o software EMIT Maxwell e os dados são provenientes do aerolevantamento eletromagnético (HTEM) adquirido entre os municípios mineiros de Santa Bárbara e Barão de Cocais (QF), no Projeto Rio das Velhas (PRV) – Etapa 2 (CPRM). Além disso, para uma interpretação integrada dos resultados foram utilizados dados aéreos de magnetometria, também do PRV – Etapa 2 e dados aéreos radiométricos adquiridos na segunda fase do PRV – Etapa 1 (CPRM/DNPM). Por meio dos filtros de realce como a Amplitude do Sinal Analítico 3D (ASA 3D) e fase do sinal analítico (TILT Derivative) dos dados magnéticos, foi possível identificar lineamentos regionais, associados aos efeitos das Formações Ferríferas Bandadas (BIF’s) fortemente magnéticas localizadas em amplas zonas de cisalhamento presentes na região de estudo. Os dados radiométricos foram utilizados para identificar zonas de possível alteração hidrotermal, principalmente do tipo potássica associada à mineralização do ouro. O mapa ternário, com as concentrações de potássio (vermelho), urânio (verde) e tório (azul), utilizado especialmente para o mapeamento geológico, destacou corpos graníticos, unidades máficas e ultramáficas e represamentos. A análise conjunta dos mapas da razão Th/K e do Fator F indicaram extensas anomalias de potássio concentradas ao longo de mineralizações e minas conhecidas, provavelmente formadas devido à lixiviação e acúmulo de potássio através do processo de alteração potássica, gerando os halos de alteração, principalmente na associação ressedimentada. Os mapas dos canais “early” e “intermediate” (off-time) dos dados HTEM exibiram amplas zonas condutoras lineares relacionadas aos sulfetos localizados nas zonas de cisalhamento. Essas anomalias de alta amplitude são orientadas na direção de N45°E, concordante com a direção do strike geológico regional das estruturas mineralizantes. A modelagem 2.5D como placas condutoras associadas aos depósitos de ouro foi utilizada na interpretação qualitativa dos dados HTEM. A partir dos modelos de placas finas ou prismas foi possível recuperar parâmetros geométricos, estruturais e físicos das mineralizações (condutância ou condutividade elétrica, respectivamente). Os modelos revelaram, em geral, orientação de N45°E, concordante com as principais estruturas geológicas da região, atitude de 135/20-80°, geometrias variáveis e baixas condutâncias/condutividades, corroborando assim com os parâmetros e estudos geológicos encontrados na literatura. Os modelos encontrados em áreas já exploradas podem auxiliar na exploração brownfield, como na melhoria do conhecimento das propriedades destas mineralizações e planejamento da mina. Já em áreas não investigadas, exploração greenfield, os parâmetros encontrados servem como guia para novos alvos exploratórios e furos de sondagem.
Palavras-chave: TDEM. AEM. Ouro. Modelagem.