Mestrado: Atenuação de intensidades em terremotos intraplaca no Brasil com reavaliação de sismicidade histórica e implementação da ferramenta Macroseismic Intensity Data Online Publisher (MIDOP)

Data: 
12/09/2019 - 10:00
Local: 
Auditório P217 do IAG (Rua do Matão, 1226, Cidade Universitária)


Defesa de dissertação de mestrado
Aluno: Lúcio Quadros de Souza
Programa: Geofísica
Título: Atenuação de intensidades em terremotos intraplaca no Brasil com reavaliação de sismicidade histórica e implementação da ferramenta Macroseismic Intensity Data Online Publisher (MIDOP)

Comissão julgadora
1) Prof. Dr. Marcelo Sousa de Assumpção – IAG/USP
2) Profa. Dra. Elizabeth Hale Madden – UnB/Brasília-DF
3) Prof. Dr. George Sand Leão Araújo de França - UnB/Brasília-DF – por videoconferência
 
Resumo
Este trabalho é dividido em dois projetos: estudo da atenuação de intensidades em regiões intraplaca brasileiras com reavaliação de sismicidade histórica; e a implementação da ferramenta Macroseismic Intensity Data Online Publisher (MIDOP), capaz de disponibilizar dados macrossísmicos de intensidade na internet.
 
ATENUAÇÃO DE INTENSIDADES
Medidas de intensidade buscam quantificar a descrição qualitativa dos efeitos observados em um terremoto em termos de quão forte foi sentido e da quantidade de danos. Apesar de sua natureza qualitativa, dados de intensidade são essenciais no estudo de tremores de terra históricos e recentes, como em estudos de risco sísmico e em regiões onde faltam dados acelerométricos. A magnitude de terremotos históricos no Brasil tem sido determinada com relações que envolvem a magnitude e área sentida. Equações de atenuação de intensidades (diminuição da intensidade em função da magnitude, profundidade e distância) determinadas em outras regiões do mundo são intrinsicamente dependentes das características tectônicas crustais para onde foram calculadas e não podem ser aplicadas no Brasil sem uma avaliação apropriada. Foi determinada uma equação de atenuação de intensidades usando 20 terremotos no Brasil e regiões intraplaca vizinhas, no intervalo de magnitude 3.5 a 6.2 mb e distâncias hipocentrais de até 720 km. O melhor modelo de atenuação foi (desv. pad. = 0.778) onde é a magnitude (mb) e a distância hipocentral (km). As incertezas de magnitudes estimadas usando essa equação são por volta de 0.4 mb para eventos com 30 ou mais medições de intensidade. Nós testamos a nova equação com dados de intensidade de dois importantes eventos: O terremoto offshore de 1939 no sudeste brasileiro (6 mb) e o terremoto venezuelano de 2018 (6.9 mb). O ajuste foi razoável para os dois terremotos, com um resíduo rms de 1.0 e 1.1 unidades de intensidade, respectivamente. Nós também reavaliamos os tremores de 1861 (Lorena – SP) e 1946 (Cananéia – SP) no sudeste brasileiro. O novo epicentro do evento de 1861 foi 23.1°S 44.7°O com magnitude de 5.0 mb. O epicentro foi localizando onshore, mas as incertezas estimadas incluem uma grande região offshore. Devido a isto, a localização do evento de 1861 permanece incerta. O novo epicentro do evento de 1946 foi 24.9°S 47.7°O com magnitude de 4.3 mb. A localização do epicentro foi próxima da costa, com uma incerteza englobando semelhantemente as porções onshore e offshore (sem chegar ao talude). A nova localização é muito próxima do epicentro original para este terremoto, reforçando a possibilidade do evento ter sido localizado offshore.
 
MIDOP
Quando trabalhamos com dados macrossísmicos de intensidade um dos principais problemas é a falta de uma plataforma que unifique a contribuição e pesquisa desse tipo de informação. É comum que cada pesquisador compile individualmente sua base de dados, possivelmente em diferentes formatos, e que nem sempre está disponível num meio digital. Para superar tais problemas, o Archive of Historical Earthquake Data (AHEAD) coordenado no Istituto Nazionale di Geofisica e Vulcanologia - Sezione di Milano na Itália desenvolveu a primeira solução dedicada a publicar dados macrossísmicos de intensidade na internet. A equipe do AHEAD criou MIDOP, uma solução que não requer experiência de programação web que permite usuários criarem uma interface simplificada e segura na internet, capaz de transformar tabelas de dados brutos em mapas interativos de intensidade. A interface permite buscar, baixar dados e contribuir informação macrossísmica, que estará disponível a qualquer usuário na internet. Foi implementado MIDOP com um compilado de diversos terremotos históricos brasileiros (maioria eventos do livro “Sismicidade do Brasil” de Berrocal et al., 1984 ). MIDOP está disponibilizado no endereço (acessado 31 de julho de 2019): http://moho.iag.usp.br/midop/. A expectativa é de que MIDOP permitirá maior colaboração entre pesquisadores através do uso de formatos de arquivos padronizados e facilitação de acesso a dados macrossísmicos no Brasil.
 
Palavras Chave: intensidade, atenuação, macrossísmico, sismicidade histórica, midop.