Mestrado: Modelo de velocidade da onda S (1D) para a litosfera da Bacia do Pantanal

Data: 
13/09/2019 - 10:00
Local: 
Auditório P217 do IAG (Rua do Matão, 1226, Cidade Universitária)


Defesa de dissertação de mestrado
Aluno: Estevão Vasconcello Campos Tadeu
Programa: Geofísica
Título: Modelo de velocidade da onda S (1D) para a litosfera da Bacia do Pantanal

1 – Prof. Dr. Marcelo Sousa de Assumpção –IAG/USP
2 – Prof. Dr. Marcelo Peres Rocha – UnB/Brasília-DF - por videoconferência
3 – Prof. Dr. João Carlos Dourado – UNESP/Rio Claro-SP
 
Resumo
A Bacia Sedimentar do Pantanal é sismicamente ativa, com terremotos registrados de magnitude até m b 5,4. O manto superior desta região apresenta uma queda de velocidade das ondas sísmicas P e S, em comparação com as regiões vizinhas na América do Sul. Para entender melhor a causa dessa anomalia de baixa velocidade na Bacia do Pantanal, analisamos as curvas de dispersão de ondas de superfície de terremotos com magnitudes maiores ou iguais a 5,5, com diferentes distribuições azimutais. Medimos as velocidades de fase e de grupo para o modo de vibração fundamental e primeiro modo superior das ondas Rayleigh e fundamental para a Love. Aplicamos a Técnica de Filtragem Múltipla e o método de empilhamento para obter as velocidades de grupo e de fase dessas ondas. Isso nos permitiu obter modelos de velocidade da onda S (1D) para a Bacia do Pantanal. As velocidades de fase e de grupo foram invertidas usando o método linear de Surf96, resultando em seis modelos de velocidade para a Bacia do Pantanal. Dois modelos exibem velocidades mais altas do que as do IASP91 em 110 km e 150 km de profundidade. Os outros quatro têm velocidades baixas nas regiões entre 110 km e 120 km, assim como em 150 km de profundidade. Isto provavelmente evidência uma litosfera mais fina na Bacia do Pantanal, como proposto por Assumpção et al. (2004). 
Palavras Chave: Bacia Sedimentar do Pantanal, Ondas de Superfície, Técnica de Filtragem Múltipla, Onda S