Comunicado sobre o falecimento do Prof. Dr. João Steiner

O Instituto de Astronomia, Geofísica e Ciências Atmosféricas (IAG) da USP comunica com pesar o falecimento do astrofísico João Evangelista Steiner, Professor Titular de nosso Departamento de Astronomia, ocorrido no dia 10/09/2020.
 
Foto do Professor João E Steiner (Crédito: Cecilia Bastos/USP Imagens)
 
João Steiner nasceu na cidade de São Martinho, Santa Catarina, em uma família de agricultores. Sua curiosidade científica o levou ao curso de Física na Universidade de São Paulo, e em seguida ao mestrado em Astronomia pelo IAG. Para Steiner, o Universo era o melhor laboratório para se estudar Física.
 
Membro de nosso corpo docente desde 1977, o professor Steiner foi Vice-Diretor de nosso Instituto entre 1993 e 1997. Percebendo a importância do gestor para o desenvolvimento da ciência, desempenhou cargos em diversas organizações científicas: foi Diretor do Laboratório Nacional de Astrofísica (LNA), Secretário do Ministério da Ciência Tecnologia (MCT), Diretor do Instituto de Estudos Avançados (IEA-USP), Presidente da Sociedade Astronômica Brasileira (SAB), Diretor de Ciências Espaciais e Atmosféricas do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE), entre outros. Foi membro dos Conselhos diretores dos telescópios Gemini e SOAR. Coordenou o projeto Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia em Astrofísica e a implantação do Sistema Paulista de Parques Tecnológicos. Atualmente era membro do Conselho de Administração do CNPEM, membro da Academia Brasileira de Ciências, da Academia de Ciências do Estado de São Paulo, da Academia de Ciências dos Países em Desenvolvimento (TWAS) e membro honorário da American Astronomical Society. 
 
Sempre olhando mais longe, Steiner ultimamente se dedicava ao escritório brasileiro do GMT – Giant Magellan Telescope (Telescópio Gigante Magalhães), na posição de coordenador do Projeto GMT Fapesp. Foi o primeiro  representante da participação brasileira no GMT Founder Representatives, o conselho deste consórcio internacional. Por meio de trabalhos como esse, Steiner estabeleceu ao longo de sua carreira parcerias internacionais que foram fundamentais para a astronomia brasileira.
 
Dois de seus projetos recentes se voltavam à divulgação científica. Com o curso “Astronomia: uma visão geral para docentes do Ensino Médio”, Steiner valorizou o papel de professores como propagadores da ciência. Os professores formados pelo curso atuavam em diversas cidades brasileiras, nas redes pública e privada de ensino. Steiner também colaborou com a Rádio USP por meio de sua coluna semanal, “Entender Estrelas”, que inspirava amantes da Astronomia em todo o Brasil.
 
A contribuição e o impacto poderiam ser mensurados em sua vasta lista de publicações, colaborações e cargos. Mas Steiner era também professor, orientador e colega. É por meio dos depoimentos de astrônomos e astrofísicos que colaboraram ou que foram formados por ele que registramos a memória de seu caráter e de seu legado.
 
Depoimentos de colegas e alunos
 
Laerte Sodré Junior, Professor Titular do Departamento de Astronomia do IAG:
“Esta é uma grande perda pessoal. Nós – João [Steiner], Augusto [Damineli] e eu – começamos a faculdade juntos, em 1970, e desde então compartilhamos da evolução do país, da Universidade, e da Astronomia brasileira. Dizem que algumas pessoas são ‘forças da natureza’, e João definitivamente se encaixa nesta definição. Ele era uma das pessoas mais energéticas e determinadas que eu já conheci e, certamente por esses motivos, ele deixa um legado invejável para nossa Astronomia, incluindo os telescópios SOAR e Gemini e, mais recentemente, a participação de São Paulo no GMT. Ele também deixa uma legião de jovens cientistas que ele orientou e supervisionou. Além de nossas memórias, ele continuará vivo nos laboratórios que ajudou a construir e nas pessoas que ajudou a formar.”
 
Augusto Damineli, Professor Titular do Departamento de Astronomia do IAG:
“João vivia e transpirava ciência: como pesquisador, orientador, administrador e gestor científico, professor e divulgador. É impossível resumir seu curriculum. Sua fama atraiu muitos jovens para a Área de Astronomia. Formou uma geração de mestres e doutores de primeira linha, alguns deles com emprego no exterior.
Como educador, sempre levantou o entusiasmo dos alunos. Suas aulas do curso Astronomia uma Visão Geral, do IAGUSP, foram gravadas pela TV Cultura e têm mais de 1 milhão de downloads. Alguém precisa desvendar o segredo de como um curso de nível universitário pode atingir tamanha audiência no Brasil. Ele estava mantendo um curso semipresencial de formação de professores de grande sucesso no Estado de São Paulo. Seu porte grande de alemão podia até despertar um certo receio nos mais desavisados, mas sabia fazer crianças pequenas felizes, principalmente bebês de colo. 
Os indígenas brasileiros dizem que quando uma pessoa morre, ela vira uma estrela. Não se assuste se encontrar uma nova estrela de PRIMEIRA MAGNITUDE no céu.”
 
Claudia Lucia Mendes de Oliveira, Professora Titular do Departamento de Astronomia do IAG:
“João trabalhou intensamente para fazer do Brasil uma liderança na comunidade astronômica internacional. Ele foi o principal condutor de nossa participação nos consórcios SOAR, Gemini e, é claro, GMT. É uma perda imensa para as comunidades astronômicas brasileira e internacional.”
 
Pedro Leite da Silva Dias, Diretor do IAG e Professor Titular do Departamento de Ciências Atmosféricas do IAG:
“João Steiner sempre me impressionou pela coragem de enfrentar grandes desafios. Teve um papel marcante na evolução do Departamento de Astronomia do IAG e da Astronomia Brasileira. Sua contribuição não foi restrita à Astronomia. Contribuiu para que o IAG se aproximasse na sociedade através da agregação de empresas privadas em projetos científicos e estimulou a criação de cursos de especialização para professores das escolas públicas além de sua enorme contribuição científica. Foi sempre uma voz importante na elaboração de planos estratégicos e com visão de futuro. Perdemos um grande defensor e divulgador da ciência e tecnologia.  Seu exemplo está impregnado nos nos seus colegas e alunos e será passado para a frente.”
 
Roderik Overzier, Professor do Observatório Nacional (ON), no Rio de Janeiro:
“Desde que cheguei ao Brasil em 2013, ninguém fez mais para me aceitar na família científica do que João. Ele era meu amigo, um mentor e "parceiro no crime" de quem sentirei muita falta. Não concordamos em todos os planos ou abordagens, mas compartilhamos totalmente a filosofia de que qualquer dia em que limites artificiais não sejam empurrados é um dia roubado da próxima geração de cientistas brasileiros. O grande carvalho da astronomia brasileira caiu, e estaremos perdidos sem sua sombra.”
 
Tutores e equipe do curso EAD - Pedro Beaklini, Daniel May, Felipe Navarete, Larissa Takeda, Luis Kadowaki, Catarina Aydar, Helio Perottoni, Phillip Galli, Beatriz Fernandes, Daniele Ronsó e Maria Teresa Lopes:
“O professor João Steiner também foi atuante na busca pela melhora da educação básica. Nos últimos anos, se dedicou na elaboração de cursos semipresenciais voltados ao aperfeiçoamento da docência. Primeiramente em parceria com outros institutos da USP, como a EACH e o IF, o curso foi remodelado nos últimos três anos para aproveitar o extenso material de aulas gravadas pelo professor, todas de excelente qualidade. João buscou financiamento e tutores entre os pós-doutores, passando para a nova geração de cientistas a importância do trabalho com a educação como uma forma de contribuição para sociedade. Participava com muito entusiasmo e carinho em tudo que era relacionado ao curso, quando presente nos encontros, servia de motivação e inspiração para aqueles que estão na frente da educação: os professores. O carinho por ele é relatado por todos que fizeram o curso.”
 
Catarina Aydar, aluna de mestrado:
“Nesta despedida, gostaria de expressar minha profunda admiração pelo professor João Steiner, agradecendo por tudo o que ele me ensinou e fez por mim, além de tudo o que ele fez pela comunidade científica brasileira. Quando estava na escola e decidi que queria estudar astronomia, quem me confirmou esse interesse foi o professor, em vídeos no Youtube que tornam um curso de astronomia acessível para qualquer pessoa que tenha interesse e internet. 
Depois, na faculdade, conheci Steiner pessoalmente nas aulas. Seu fascínio pelo Universo era tão contagiante que, na primeira matéria que fiz no IAG, já estava pedindo para fazer iniciação científica com ele. Por fim, entrei em contato com João, que me orientou e me apoiou nos últimos 5 anos abrindo muitas portas e me ensinando muito mais do que todo o conhecimento científico que ele passou. Fico triste pela perda, porque ainda queria poder trocar muito mais com ele, entender melhor como funcionam esses ambientes nas diferentes escalas em que nos situamos. Mas agora ele segue sua jornada e talvez se transforme em um brilhante quasar que poderemos admirar à distância. Serei eternamente grata por tudo o que pudemos compartilhar; por ter sido mais que orientador e professor, mas também parceiro e amigo, sempre atento ao nosso lado humano. Agradeço por todas as contribuições para a comunidade científica, por ser esse exemplo de integridade e sabedoria. Vá em paz, João, que por aqui continuaremos nos esforçando para dar continuidade ao seu legado.
Obrigada por tudo, de sua aluna Catarina.”
 
Daniel May, Pós-doutor em Astronomia:
“Perdemos hoje aquele que fez do país uma referência mundial em Astronomia graças à sua dedicação ímpar e às pessoas que ele inspirou. No momento não consigo imaginar uma única pessoa que faria todo o trabalho atualmente conduzido por ele: desde pesquisas importantes para a Astrofísica, seu grande papel e carisma como divulgador da ciência e a herança deixada por nos fazer sócios do primeiro grande telescópio para esta década. Mas consigo imaginar, no entanto, que a inspiração que nos causa fará este legado continuar nas mãos de todos que conheciam seu trabalho.
Como ele costumava dizer: 'Todos nós somos alfabetizados a ler e a escrever na escola, por que não sermos também alfabetizados cientificamente, para sermos melhores cidadãos?'.
E assim brilham mais as estrelas, nesta hora da sua partida. Obrigado, João.”
 
Alexandre Soares de Oliveira, professor da UNIVAP:
“Eu acho que João Steiner foi um Quasar, do tipo dos que ele gostava de admirar. Brilhante, incansável. Luminoso, me mostrou o caminho entre as estrelas em 30 anos de convivência e amizade, me orientando em meu percurso pela iniciação científica, mestrado, doutorado e além. Foi gigante como os telescópios que gostava de construir para nos permitir enxergar mais longe. Seu entusiasmo pela descoberta aquecia nossas conversas sobre discos de acreção, árvores, passarinhos e fótons. João foi agregador e construiu o que poucos conseguiram construir. Generoso com sua energia também, como deve ser um grande amigo. E, de repente, distante. Foi um privilégio esta aventura, João.”
 
Patrícia da Silva, orientada pelo Prof. João Steiner no mestrado e no doutorado:

“Conheci o professor João Steiner quando estava na graduação e ouvi uma palestra dele, onde ele divulgou seu trabalho no Instituto de Física da USP. Foi uma das melhores palestras que eu vi. Ele falava com muita eloquência e paixão sobre Astronomia. Foi quando decidi conversar com ele para fazer iniciação científica, o que ele prontamente concordou e criou um projeto robusto rapidamente. Eu tinha e tenho o maior orgulho de dizer que ele foi e sempre será meu orientador. Aprendi muito durante todos estes anos (desde a IC, mestrado e doutorado). O seu legado e ensinamentos sempre deixarão uma marca expressiva em nós e nos inspirarão a sempre fazer uma ciência de qualidade. Obrigada por tudo, professor! Descanse em paz!”

 

Roberto Bertoldo Menezes, orientado pelo Prof. João Steiner no mestrado e no doutorado:

“João foi sem dúvida um grande amigo e orientador. Fui seu aluno desde a iniciação científica e serei eternamente grato por todo o conhecimento que ele passou. A astronomia perdeu hoje um de seus maiores representantes, mas com certeza o legado do João continuará vivo e será passado adiante por todos aqueles que, como eu, aprenderam muito com ele. Muito obrigado por tudo, João.”

 
Prof. Mario Festa, Estação Meteorológica do IAG/USP:

“Lamento profundamente a perda de mais um colega, e também uma grande perda para a Astronomia. Meus sinceros pêsames aos familiares.”

 
Tiago Ricci , Professor na Universidade Federal da Fronteira Sul - campus Cerro Largo:

“Conheci o João quando ele ministrou a disciplina 'Astronomia: uma visão geral', em 2003. Neste mesmo ano, me tornei seu aluno de Iniciação Científica. Foi o início de nossa interação científica e que durou até a sua partida, neste último dia 10/9/2020. Não foi apenas um orientador, mas sim um grande mentor e um bom amigo ao longo de todos esses anos. Eu só tenho a agradecer por tudo o que ele fez, não só por mim, mas para toda a comunidade astronômica brasileira. Muito obrigado, João. Foi um privilégio enorme poder conviver com você por todo esse tempo.”

 
Daniel Moser, Especialista de Operações do Gemini:

“É de conhecimento de todos a importância que o Prof. João Steiner teve para a infra-estrutura observacional da astronomia brasileira. Por três anos tive o privilégio de trabalhar em seu último grande projeto nesta área, a participação nacional no Giant Magellan Telescope (ou GMT).
À frente do GMT Brazil Office, ele primou para que a participação da FAPESP fosse a mais ampla possível. Não só na pesquisa científica, mas também no desenvolvimento industrial do telescópio e seus equipamentos. E não menos importante, para que a astronomia envolvida chegasse às salas de aula de alunos de todas as idades, com o programa associado de capacitação de professores.
Os frutos da atuação do Prof. Steiner para a infra-estrutural astronômica continuam a ser colhidos na luz das estrelas hoje registradas nos telescópios do LNA, SOAR e Gemini. E muitos outros frutos virão, principalmente quando o GMT alcançar a luz dos corpos celestes longínquos e débeis que nos são totalmente desconhecidos. Graças ao Prof. Steiner, este novo horizonte do conhecimento estará disponível a pesquisadores brasileiros em primeira mão -- e que, com seu trabalho de divulgador, desejava que também estivesse ao alcance de todos.
A comunidade astronômica, profissional e amadora, sentirá a sua falta.”

 
Mensagens de pesar recebidas
 
Andrew H. Szentgyorgyi, Harvard-Smithsonian CFA:
A look at Joao's Google Scholar page reminds us of his numerous collaborations with CfA theorists, observers and instrument builders:
https://scholar.google.co.il/citations?user=UBGWb-wAAAAJ&hl=ko
 
A biosketch on his Wikipedia page gives some sense of his significant leadership of and advocacy for Brazilian astronomy and Brazilian science in general :
https://pt.wikipedia.org/wiki/Jo%C3%A3o_Evangelista_Steiner
 
A more personal remembrance in the form of an extended interview can be  found at:
https://revistapesquisa.fapesp.br/en/jo%C3%A3o-evangelista-steiner-astronomical-leaps/
 
What also needs mentioning is the fact that Joao spearheaded the initiative for Universidade  de São Paulo  and FAPESP (the São Paulo State "NSF") to join and contribute to the Giant Magellan Telescope. 
 
Finally, what is most prominently missing from these websites is an appreciation of his generosity, sense of humor and graciousness. Joao was a great friend and a larger-than-life human being. We will all miss him. 
 
 
Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência - SBPC:
SBPC lamenta a morte do astrofísico João Evangelista Steiner
Professor titular do Instituto de Astronomia, Geofísica e Ciências Atmosféricas da USP, Steiner era sócio desde 1974 da entidade e teve uma grande atuação na diretoria em duas gestões
A Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC) expressa profundo pesar pelo falecimento do astrofísico João Evangelista Steiner, ocorrido nesta quinta-feira, 10 de setembro. Professor titular do Instituto de Astronomia, Geofísica e Ciências Atmosféricas da USP, Steiner era sócio da SBPC desde 1974 e teve grande atuação na diretoria da entidade, tendo sido primeiro-tesoureiro da SBPC (1989-1991) e secretário-geral (1991-1993).
Nascido em 1950 em São Martinho, interior de Santa Catarina, Steiner graduou-se em Física na Universidade de São Paulo (USP), em 1973, onde obteve mestrado em Astronomia, em 1975, e doutorado na mesma área, em 1979. Logo em seguida, realizou sua pesquisa de pós-doutorado no Harvard-Smithsonian Center for Astrophysics, nos Estados Unidos.
Membro da Academia Brasileira de Ciências e da TWAS (Academia Mundial de Ciências para o Avanço dos Países em Desenvolvimento), foi condecorado em 2001 com a Ordem do Rio Branco – Grau de Comendador, concedida pelo Ministério das Relações Exteriores, e em 2010 com a Grã-Cruz da Ordem Nacional do Mérito Científico, pelo Ministério da Ciência e Tecnologia.
Segundo o vice-presidente da SBPC, Aldo Malavasi, Steiner era um cientista nato, com uma grande capacidade didática, capaz de traduzir assuntos complexos, como a expansão do universo e as ondas gravitacionais, em uma linguagem acessível a todo tipo de público.  Malavasi ressaltou sua contribuição para o desenvolvimento da astronomia brasileira, como a modernização do Observatório Pico dos Dias e a criação do Laboratório Nacional de Astrofísica (LNA), ambos em Minas Gerais, e a participação nacional decisiva no consórcio dos observatórios Gemini e Soar, no Chile.
Steiner também ocupou a Secretaria de Coordenação das Unidades de Pesquisa do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI) e dirigiu o Instituto de Estudos Avançados (IEA/USP).
“Ele era brilhante. Teve uma carreira científica maravilhosa. Foi ele o responsável por trazer os astrônomos para a SBPC e de introduzir a astronomia nas atividades da entidade, como nas Reuniões Anuais e Regionais”, comenta Malavasi. Como membro da diretoria, Malavasi disse que ele era extremamente ativo, inclusivo e preocupado com divulgação científica. “Ele também era super preocupado em trazer novos sócios para a entidade”, ressalta.
Paulo Roberto Petersen Hofmann, secretário-geral da SBPC, destaca sua participação em duas Reuniões Regionais da SBPC em Santa Catarina. “Em 1996, em Florianópolis, ele foi o homenageado da Reunião. Na última, em Palhoça, em 2016, ele fez a conferência de abertura ‘Buracos Negros: de Albert Einstein às ondas gravitacionais.’”
O velório de do astrofísico João Evangelista Steiner será realizado em duas etapas. A primeira na parte será na tarde desta quinta-feira e terá continuidade amanhã, na parte da manhã, no crematório São Mateus (Rua Leonete Frontino Alves, 2650, Capivari de Baixo), em Santa Catarina.
SBPC
 
Sociedade Astronômica Brasileira - SAB:

“A Sociedade Astronômica Brasileira manifesta seu pesar pela perda de seu colega João Evangelista Steiner. Nossas condolências aos familiares e amigos.

 
Centro Nacional de Pesquisa em Energia e Materiais - CNPEM:
“O CNPEM informa, com profundo pesar, o falecimento do astrofísico Prof. João Evangelista Steiner, membro do Conselho de Administração do Centro. Steiner integrou o Conselho do CNPEM de setembro de 1999 a agosto de 2003, como representante do, então chamado, Ministério da Ciência e Tecnologia. Em 2017, voltou a ser Conselheiro, desta vez como representante dos Associados.
Dentre suas diversas contribuições ao Conselho de Administração do CNPEM, Prof. Steiner participou da primeira fase da então ABTLuS como Organização Social e acompanhou as instalações das primeiras linhas de luz do UVX, apoiou os primeiros avanços da área de biologia e o fortalecimento da microscopia eletrônica. Recentemente, foi um dos grandes entusiastas e defensores da ampliação das atividades do CNPEM e do projeto Sirius.
O Prof. João Evangelista Steiner graduou-se em Física pelo Instituto de Física USP (1973), fez mestrado e doutorado em Astronomia pela Universidade de São Paulo (1975 e 1979), e pós-doutorado no Harvard-Smithsonian Center for Astrophysics (1979-1982). Foi professor titular do Instituto de Astronomia, Geofísica e Ciências Atmosféricas da USP desde 1990. Foi Secretário das Unidades de Pesquisa do então Ministério da Ciência Tecnologia (1997-2002). Era também  membro da Academia Brasileira de Ciências, da Academia de Ciências do Estado de São Paulo, da Academia de Ciências dos Países em Desenvolvimento (TWAS) e membro honorário da American Astronomical Society. Foi responsável pela inserção da astronomia brasileira nos fóruns internacionais, pela sua atuação como membro dos conselhos diretores dos telescópios Gemini, SOAR e GMT e representante da FAPESP no GMT Founder Representatives. Seu campo de pesquisa era o de Núcleos Ativos de Galáxias.
Uma entrevista publicada na Revista Pesquisa FAPESP com o Prof. Steiner apresenta um pouco mais de sua carreira acadêmica e suas contribuições para a cultura científica brasileira. Mais recentemente, há duas semanas atrás, em 25 de agosto passado, podemos vê-lo também em uma palestra sobre “A Origem do Universo”.
O Prof. João Evangelista Steiner faleceu na manhã de hoje, em São Martinho – SC,  e seu corpo será cremado amanhã, dia 11 de setembro, no Crematório e Memorial de São Mateus, cidade vizinha, em Santa Catarina.
Antonio José Roque da Silva, Diretor-Geral”
 
Instituto de Geociências da Universidade – IGc/USP:

O Instituto de Geociências da Universidade de São Paulo (USP) lamenta, com profundo pesar, o falecimento do Professor JOÃO EVANGELISTA STEINER, ocorrido na manhã de hoje, dia 10 de setembro, no Estado de Santa Catarina. 

Sua partida é uma grande perda para a Universidade, em especial para a área de Astronomia. Manifestamos nossos mais profundos sentimentos a todos os seus familiares, amigos, colegas, alunos e ex-alunos.
Atenciosamente,
Prof. Dr. Caetano Juliani - Diretor 

Prof. Dr. Carlos José Archanjo - Vice-Diretor

 

Instituto Mauá de Tecnologia – IMT:

Foi com enorme consternação que a comunidade do Instituto Mauá de Tecnologia recebeu a notícia do falecimento do Prof. Dr. João Evangelista Steiner, ocorrido no dia 10 de setembro de 2020. Neste momento de dor pela ausência de tão eminente profissional, transmitimos em nome da Comunidade Mauaense nossas sentidas condolências.
Atenciosamente,

Prof. Francisco José Olivieri - Superintendente Geral do IMT
Prof. José Carlos de Souza Junior - Reitor do CEUN-IMT

Eng. José Roberto Augusto de Campos - Diretor do Centro de Pesquisa do IMT

 
Centro Brasileiro de Pesquisas Físicas - CBPF:
Caro amigo,
Venho expressar nosso choque e  tristeza, nós comunidade do CBPF, pela perda do nosso amigo João Steiner. É uma grande perda para a comunidade científica brasileira. Pessoalmente, não era um amigo próximo do João, mas sempre tínhamos prazer em nos encontrar.
Participe nossas condolências à sua família e à toda a comunidade do IAG.
Um abraço amigo,
Ronald Shellard, diretor do Centro Brasileiro de Pesquisas Físicas - CBPF