O conteudo estelar localizado entre aglomerados jovens de CMaR1

 
Autor: 
Thais dos Santos Silva
Informações Gerais
Departamento: 
astronomia
tipo: 
Doutorado
Data da Defesa: 
2014
Orientadores
Orientador: 
Jane Cristina Gregório Hetem

A região de formação estelar em Canis Major (CMa R1) tem sido estudada em diferentes comprimentos de onda com o intuito de explorar a descoberta da coexistência de aglomerados de diferentes idades nessa nuvem molecular.

Quatro campos foram observados com o satélite “XMM-Newton”, abrangendo os grupos de estrelas próximos a Z CMa e GU CMa e a região denominada “inter-aglomerados”. Cerca de 387 fontes foram identificadas por dois métodos de detecção distintos: individual e mosaico.

Por meio das análises em raios X, principalmente por diagramas de razão de dureza,  foi possível identificar as candidatas a membro de CMa R1 e separar prováveis objetos de campo. As curvas de luz e espectros extraídos para os objetos mais brilhantes da amostra também foram úteis para indicar a natureza jovem destes objetos. As curvas de luz revelaram  10 fontes que possivelmente apresentaram flares, 5 deles confirmados e 2 classificados como parciais. Ajustes do modelo de plasma térmico aos espectros de baixa resolução de 23 fontes brilhantes, em raios X, forneceram  valores médios de: NH = 0,19 + 0,09 x 10-22cm-2, que  corresponde a uma extinção de AV = 0,9 + 0,5 mag: temperatura do plasma de 1,3 + 0,5 keV: e abundância de 0,11 + 0,06 Z.  Os fluxos encontrados estão em uma faixa de 1,5 a 55 x 1014cm2/s.

Para complementar o estudo das fontes X de CMa R1 foi realizada uma análise de fontes 2MASS, por meio de diagramas cor-cor e cor-magnitude,  para estimar as massas e idades das contrapartidas infravermelhas dos  possíveis membros de CMa R1. A distribuição de massas, entre 0,1 e 17 M, comprova que essa região abriga uma população predominantemente de baixa massa (~ 80%).

As idades estimadas para essa amostra variam de 0,2 Myr até a idade zero da sequência principal. O campo próximo a Z CMa é o que apresenta uma população mais jovem, cerca de ~54% das contrapartidas são mais jovens que  5 Myr e apenas 30\% são mais velhas que 10 Myr. Por outro lado, o campo próximo a GU CMa apresenta uma proporção inversa: 58% dos seus objetos têm idades > 10 Myr e 30% têm menos de 5 Myr. A distribuição espacial das fontes em função das faixas de idades mostra claramente que a região “inter-aglomerados” contém os dois grupos de faixas de idades.

Ao combinar os dados em raios X com os em infravermelho verificou-se que a maioria das fontes X segue a relação esperada entre o fluxo em raios X e a magnitude aparente J de estrelas T Tauri encontrada por outros autores. Além disso, a combinação dos resultados obtidos por meio dos diagramas de razão de dureza e cor-cor resultou em uma amostra de 140 candidatas a membro de CMa R1, 123 possíveis candidatas a pertencer a CMa R1, 106 de origem indefinida, 17 possíveis candidatas a objeto de campo e apenas 1 objeto de campo confirmado. 

AnexoTamanho
t_thais_s_silva_original.pdf7.94 MB