Usando gêmeas solares para estudar a conexão entre atividade estelar e idade

 
Autor: 
Fabrício Catani de Freitas
Informações Gerais
Departamento: 
astronomia
tipo: 
Mestrado
Data da Defesa: 
2017
Orientadores
Orientador: 
Jorge Luis Melendez Moreno

O estudo da atividade cromosférica das estrelas tem diversas aplicações, como estimar idade das estrelas ou caracterizar fontes de ruído na velocidade radial. Este trabalho é dividido em 3 partes, todas relacionadas com atividade cromosférica usando uma amostra de gêmeas solares.

Devido à atividade magnética das estrelas diminuir com a idade, existem métodos para estimar a idade de uma estrela a partir de sua atividade.

Entretanto, estes métodos têm limitações que serão discutidas no capítulo 2.

A atividade cromosférica das estrelas também gera ruído na velocidade radial observada das estrelas, portanto é necessário sempre levar esse parâmetro em conta ao procurar exoplanetas. No capítulo 3 estudamos em detalhes a atividade de estrelas nas quais foram ajustadas órbitas de análogos de Júpiter, na tentativa de encontrar algum falso candidato.

Apesar da importância de estudar a atividade das estrelas nem todos os espectrógrafos cobrem a região das linhas H e K do Ca II, que são as linhas padrões no visível para inferir a atividade. Por isso, no capítulo 4 estudamos uma linha do Mg alternativa para determinar sua viabilidade no estudo da atividade cromosférica.

Finalmente, no capítulo 5, encontram-se as principais conclusões do trabalho, entre elas, que as calibrações de idade com atividade cromosférica só são válidas para estrelas com idade até 4 Gyr, que o Sol tem um índice de atividade normal para sua idade, que a detecção do planeta HD154345b provavelmente foi espúria e que a linha do Mg também pode ser usada para determinar um índice de atividade cromosférica.

 

AnexoTamanho
d_fabricio_c_freitas_original.pdf4.56 MB