Assinaturas Magnéticas de Processos Biogeoquímicos em uma Área Contaminada por Hidrocarbonetos.

 

Autores: 
Moraes, Carolina Silveira de
Ustra, Andrea Teixeira
Barbosa, Alexandre Muselli
Imbernon, Rosely Aparecida Liguori
Informações Gerais
Departamento: 
geofisica
Título do Livro: 
Geociências: Estabelecimento e Evolução da Civilização Humana 3
Ano de Publicação: 
2021
Número de Volumes: 
1
Página Inicial: 
1
Página Final: 
13
ISBN: 
978 - 65 - 5706 - 896 - 0
Edição: 
1
Editora: 
Atena
Palavras-chave: 
Áreas Contaminadas, Geofísica, Magnetismo Ambiental, Biogeofísica, Solos
localidade: 
Publicação Nacional
AnexoTamanho
Moraes, C.S. de, Ustra, A.T., Barbosa, A.M. & Imbernon, R.A.L..pdf4.64 MB

O crescimento da exploração e do uso de hidrocarbonetos como fonte de combustível e matéria prima levou ao aumento expressivo da contaminação do solo e das águas subterrâneas por essas substâncias. A contaminação ambiental pode ser estudada por meio da geofísica. A biogeofísica tem se destacado no estudo da atividade microbiana e suas alterações no meio, a partir da análise de parâmetros geofísicos como as propriedades magnéticas do ambiente contaminado. Essa análise fornece importantes  informações sobre a evolução biogeoquímica do meio. Neste trabalho, buscou-se identificar os processos biogeoquímicos ocorridos em áreas contaminadas por hidrocarbonetos e associálos à assinaturas magnéticas, obtidas a partir da análise de curvas termomagnéticas, capazes de fornecer informações sobre a mineralogia, e da análise de curvas de histerese, capazes de fornecer informações sobre o tamanho dos grãos de minerais magnéticos. As amostras utilizadas foram coletadas em uma região com presença de óleo de creosoto em São Paulo, a partir de perfis de solo contaminados e não contaminados. Os resultados obtidos a partir das curvas termomagnéticas para amostras coletadas com contaminante indicam uma menor ocorrência de transformações de fase mineral, sugerindo que elas possuem menor teor de matéria orgânica que as demais amostras, assim como menores concentrações de magnetita. Os resultados de curvas de histerese indicam a ocorrência de partículas finas e a diminuição da granulometria com o aumento da profundidade. Os resultados obtidos sugerem transformações minerais suprimidas na região contaminada, em relação à região de background. Uma explicação para essa diferença pode estar associada a ação biocida do creosoto, responsável por diminuir a quantidade de bactérias redutoras de ferro do meio, e consequentemente diminuir a intensidade do
metabolismo microbiano na região contaminada.