Variabilidade da Zona de Convergência Intertropical do Atlântico durante as estações seca e chuvosa da América do Sul tropical

 

Autor: 
Ana Carolina Nobile Tomaziello
Informações Gerais
Departamento: 
meteorologia
tipo: 
Doutorado
Data da Defesa: 
2014
Palavras-chave: 
ZCIT do Atlântico, variabilidade intrassazonal, ondas de Rossby, Oscilação de Madden-Julian.
Orientadores
Orientador: 
Adilson Wagner Gandu

A Zona de Convergência Intertropical do Atlântico (ZCIT-A) tem papel crucial nos regimes de precipitação do norte da América do Sul e oeste da África, exibindo variabilidade em diferentes escalas de tempo. No entanto, a maior parte dos trabalhos tem se concentrado em sua variabilidade nas escalas de tempo anual e interanual durante o outono austral. Neste contexto, as principais questões que norteiam este estudo são: durante as estações chuvosa (novembro-março) e seca (maio-setembro) da América do Sul tropical, quais os principais mecanismos atmosféricos relacionados à variabilidade da ZCIT-A na escala intrassazonal? Qual a relação entre a variabilidade intrassazonal da ZCIT-A e a atividade da Oscilação de Madden-Julian (OMJ)? Para responder essas questões propõe-se um Índice Atmosférico Multivariado para a ZCIT-A (IZCIT), que descreve os principais aspectos atmosféricos da ZCIT-A e retém sua variabilidade nas escalas interanual, semianual e intrassazonal. O índice consiste no coeficiente temporal do primeiro modo das Funções Ortogonais Empíricas Combinadas de anomalias (ciclo anual removido) de precipitação, umidade específica e componentes zonal e meridional do vento em 850 hPa das Climate Forecast System Reanalysis para o período de 1979-2010. Com base neste índice, examinam-se associações entre a variabilidade intrassazonal da ZCIT-A e padrões de teleconexão trópicos-extratrópicos. “Eventos” intrassazonais de ZCIT-A enfraquecida (intensificada), determinados com base no quartil inferior (superior) do IZCIT filtrado na banda intrassazonal (10-70 dias), estão associados a anomalias negativas (positivas) de precipitação no Atlântico tropical Central-Oeste e a alísios enfraquecidos (intensificados) no Atlântico. A variabilidade intrassazonal da ZCIT-A na estação chuvosa da América do Sul tropical está associada à propagação de uma onda de Rossby, consistente com o padrão de teleconexão Pacific-North American em sua fase positiva (negativa) durante eventos intrassazonais de ZCIT-A enfraquecida (intensificada). O enfraquecimento (fortalecimento) dos alísios durante eventos de ZCIT-A enfraquecida (intensificada) está relacionado a uma circulação ciclônica (anticiclônica) anômala em baixos níveis no noroeste da África e ao enfraquecimento (fortalecimento) da Alta Subtropical do Atlântico Norte, devido à atuação do trem de onda. Durante a estação seca da América do Sul tropical, as anomalias nos alísios estão associadas a mudanças na circulação da Alta Subtropical do Atlântico Sul, moduladas por um trem de onda de Rossby. Essa onda é consistente com a fase negativa (positiva) do primeiro modo do padrão Pacific-South American durante os eventos intrassazonais de ZCIT-A enfraquecida (intensificada). Os referidos padrões de teleconexão induzem anomalias nos ventos alísios e divergência em altos níveis sobre o Atlântico equatorial, modulando a intensidade da ZCIT-A. Relações entre a variabilidade intrassazonal da ZCIT-A e a atividade da OMJ também são investigadas. Eventos de ZCIT-A enfraquecida (intensificada) tendem a ser mais frequentes na fase da oscilação caracterizada por supressão (convecção) sobre o Pacífico Oeste e convecção (supressão) sobre o Oceano Índico. Este estudo fornece um novo método para investigar a variabilidade da ZCIT do Atlântico e contribui para entender os mecanismos atmosféricos subjacentes que explicam sua variabilidade na escala de tempo intrassazonal, mostrando evidências adicionais a trabalhos anteriores de influências remotas na ZCIT-A via extratrópicos.

AnexoTamanho
t_anacarolina_n_tomaziello_corrigida.pdf22.06 MB